Todos os partidos de Ogrobe, incluídos BNG e IU, apoiam um novo campo de golfe na costa

O governo de coligaçom existente no concelho de Ogrobe, na comarca galega do Salnês, admitiu a proposta da empresa&nbsp LCG Desarrollo & Gestión del Golf, S. L e conseguiu o apoio do pleno municipal para mais um projecto turistificador na costa galega.

Reproduzimos a seguir as notícias publicadas em dous meios digitais alternativos galegos e acrescentamos ligaçons para os comunicados emitidos por diferentes entidades contra o projecto de campo de golfe no concelho de Ogrobe:

Primeira Linha em Rede.- IU e BNG de Ogrobe assinam com a direita e os empresários documento favorável a um novo campo de golfe

A empresa LCG Desarrollo & Gestión del Golf, S. L. mostrou a sua satisfaçom após ter conseguido, no passado dia 21 de Abril, que todos os partidos institucionais de Ogrobe assinassem um documento favorável ao seu projecto de campo de golfe nos montes da Siradelha, num projecto que terá financiamento público de 5.000.000 de euros para um campo de 500.000 metros quadrados e 18 buracos, ao serviço da estratégia turistificadora da costa galega. A adesom do BNG e de IU parece garantir o projecto, mas diferentes entidades sociais e políticas já denunciárom a operaçom especulativa de agressom ao meio natural da comarca.

O promotor, Rafael Sáenz-Díez Mavar, vendeu o seu projecto aos representantes políticos em termos de “projecçom internacional” para o concelho, comprometendo 40 competiçons por ano, incluindo algumhas “internacionais”, além de servir de campo de jogo para clientes dos hotéis da zona, o que garante a adesom das entidades empresariaias CIT, Hostelería e Emgrobes a umha proposta privada que será paga com dinheiro público. Além do turismo, a ideia do promotor é conseguir 1.500 quotas no próprio concelho, que ajudariam a tornar rendível em termos económicos o campo.

Entre os argumentos “estrela” em favor do empreendimento turístico, salienta o do presidente da Cámara Municipal de Ogrobe, o “socialista” José Cacabelos, que declarou numha entrevista que, tal como os campos eólicos estám a ser instalados em terras protegidas pola Rede Natura, também Ogrobe tem direito a passar por cima dessa protecçom instalando um campo de golfe.

O Colectivo Ecologista do Salnês (integrado na Federaçom Ecologista Galega) contestou já a operaçom, alegando o impacto paisagístico que irá supor, o altíssimo consumo de água que os campos de golfe sempre implicam, a poluiçom das terras polo uso intenso de pesticidas e a perda de espécies vegetais e animais autóctones, algumhas protegidas, numha área especialmente rica da comarca do Salnês.

Também outras entidades, como Ogrobesurfing, NÓS-Unidade Popular, ADEGA ou Isca! tenhem manifestado a sua oposiçom ao projecto, por considerarem que fai parte de um modelo de desenvolvimento insustentável, especulativo e destruidor da riqueza natural e paisagística da Galiza.

No entanto, pouco importa aos nossos “responsáveis políticos” que o monte da Siradelha esteja protegido por diferentes normativas da Uniom Europeia e da própria Junta da Galiza, por fazer parte de umha valiosa área dunar e de umha zona húmida de grande valor natural. À espera do que resolvam a Conselharia do Ambiente, o Estado espanhol e a Uniom Europeia, a corporaçom municipal de Ogrobe em pleno (PSOE, PP, BNG, IU, PG e A Meca) tem-no claro: dim sim a umha nova agressom ambiental à costa do Salnês.


&nbsp Galiza Livre.- Construçom dum campo de golfe em Ogrobe poderia destruir o monte Siradelha

O monte Siradelha-Feáns, no concelho de Ogrobe, pode ser destruído pola construçom de um campo de golfe, a proposta de LCG Desarrollo & Gestión de Golf, S.L. Assim o manifesta o documento aprovado pola corporaçom municipal no passado 21 de Abril. O monte, que forma parte dum ecossistema dunar, está protegido por várias entidades legais: Zona de Especial Protecçom para as Aves (UE), Lugar de Interesse Comunitária (UE), Humidal de Importância Internacional (Convénio Ramsar), Zona de Especial Protecçom dos Valores Naturais (Junta de Galiza), e Humidal Protegido (Junta de Galiza), para além, de como recorda o veterano Colectivo Ecologista do Salnês, estar incluido no inventário de Humidais Protegidos da Conselharia de Meio Ambiente da Junta de Galiza.

&nbsp Protestos dos movimentos ecologistas&nbsp &nbsp

Junto com o Colectivo Ecologista do Salnês há já outros grupos iniciando os protestos, como a associaçom desportiva Ogrobesurfing, ou ADEGA a nível nacional. Indicam que a contruçom dum campo de golfe nesse terreno é irracional, polo grave dano que efectuaria à flora e fauna do lugar, já bastante ameaçado pola construçom de umha urbanizaçom nas cercanias. De construir-se, os problemas nom fariam mais que crescer, indica ADEGA, já que o campo de golfe "precisa para o seu mantimento do uso de fertilizantes, insecticidas, herbicidas, fungicidas, que provocariam a poluiçom do solo e do sistema hídrico". O grande consumo de água que acarreta um campo destas características, "poderia agravar os problemas de abastecimento em Ogrobe no Verao e que vai em contra de umha política de consumo responsável da água, que é um recurso finito".&nbsp

Turistificaçom e política de espaços protegidos&nbsp &nbsp

Pola outra banda, os promotores do projecto referem-se a ele "como hipotético motor da economía e sector turístico local", continuando com a política económica de turistificaçom selvagem da costa galega. O caso é especialmente grave por demonstrar o nulo valor que têm todas as protecçons legais que tem o monte, e a farsa da política de espaços protegidos. Como sinalava Rodrigo Mora,&nbsp

"Os espaços protegidos som parte do plano para manter, assistidos polo Estado, porçons da natureza em aparência selvagens e intocadas, mas o certo é que nada salvará a meio prazo estes territórios dos dramáticos progressos da seca estival, da poluiçom de águas de chuva, da cobiça das construtoras, da necessidade de novas terras de cultivo nom poluídas, dos efeitos da mudança climática, assim que tarde ou cedo, sobretudo quando o Estado entre em crise fiscal e já nom seja possível gastar as quantiosas somas que hoje se destinam a preservá-los na sua patética artificialidade, tam celebrada por ambientalistas “apolíticos” e ecologistas optimistas, que nom alcançam a compreender que o assistido, o que nom pode subsistir por si, carece de futuro."

O processo de turistificaçom em Ogrobe está já muito avançado, o que é totalmente incompatível com a riqueza ecológica da zona. O monocultivo do turismo, aliás, é muito perigoso economicamente, ao ser um sector que, por razons intrínsecas, é flutuante e pouco estável. Nom deixa de surpreender que, por exemplo, ao buscar a web da câmara municipal de Ogrobe, o primeiro que apareça nos buscadores da Internet seja

"Concello do Grove

Web oficial del Ayuntamiento de O Grove. Toda la información sobre playas,naturaleza,gastronomia,la isla de A Toxa. O Grove en directo a traves de su camara …

www.turismogrove.com"

Mais info:

O CES reclama á Consellería de Medio Ambiente que se posicione ante a polémica do campo de Golf en o Grove aqui

Isca!: Paremos o campo de golf en Ogrobe aqui

NÓS-Unidade Popular, contra a nova agressom à costa galega em Ogrobe: nom ao campo de golfe!&nbsp aqui

ADEGA rexeita un proxecto campo de golf en plena ZEPA de Ogrobe aqui

NOTICIAS ANTICAPITALISTAS