São Paulo: Aula magna do professor Marco Aurelio de Mello [Vídeo]

“No Judiciário a nossa atuação é vinculada ao direito posto. O Instituto da Condução Coercitiva é previsto em nossa legislação? A resposta é positiva. Mas ele pressupõe para ser acionado que alguém intimado não compareça, e isso não ocorreu com relação ao ex-presidente Lula. E o mais sério é que tudo se deu com uma pessoa que duas vezes foi eleita pelo povo”

“Paga-se um preço, que é módico, ao se viver em um estado de direito: o respeito irrestrito às regras estabelecidas. Somente assim é que teremos dias melhores no Brasil”

“O fato deve ser tomado para que não se repita. Em direito o meio justifica o fim, mas não o fim o meio. Eu não posso, sob pena de adentrar o campo do regime de exceção, criar o critério que eu ache mais aconselhável, muito menos para ter o efeito que se teve em termos de repercussão nacional”.

“Se prende, se fragiliza o cidadão, para obter-se dele uma delação. Será que se coaduna com o princípio da dignidade humana? A meu ver, não”

“Julgo os meus colegas por mim, e atuo segundo a minha ciência e consciência e nada mais. Ou seja, eu atuo com pureza d’alma tentando implementar a Justiça.Mas que estamos com uma generalização de extravagâncias estamos.”

*Marco Aurélio Mendes de Farias Mello, magistrado brasileiro. É ministro do Supremo Tribunal Federal desde 13 de junho de 1990

Fotoarte: «Ministro Marco Aurélio de Mello»

Vídeo: Aula magna do professor Marco Aurelio de Mello

Debate Progressista

NOTICIAS ANTICAPITALISTAS