Rio de Janeiro: Continua espancamento de Professores [VídeoNinja]

 

Professores em greve realizaram durante toda a segunda-feira (30) uma manifestação em torno do prédio da Câmara Municipal do Rio, na Cinelândia. O protesto começou nas primeiras horas da manhã, com representantes do magistério chegando em grande número para apoiar um grupo que estava acampado do lado de fora do Palácio Pedro Ernesto, desde que foram expulsos com violência do plenário da Câmara pela Polícia Militar (PM) na noite de sábado (28).

A manifestação seguia sem tumulto, até que a Tropa de Choque resolveu, por volta das 21 horas, dispersar os black blocs que participavam do protesto em apoio aos professores. Oito pessoas foram detidas e pelo menos outras seis ficaram feridas. Fotógrafos registraram o momento em que um jovem foi agredido com golpes de cassetetes por três policiais.

Segundo a PM, o cerco aos professores acampados ao lado da Câmara foi ordem do presidente da Casa, Jorge Felippe (PMDB). O deputado Gilberto Palmares (PT) criticou a decisão de isolar os manifestantes e ajudou a negociar a diminuição do efetivo policial durante o dia. “Embora a greve seja do âmbito municipal, não podemos fechar os olhos, pois todos lutamos por uma educação melhor, seja para a cidade do Rio, seja para o nosso estado”, disse Palmares.

Na manhã da terça-feira (1º), o policiamento nas ruas do entorno da Câmara do Rio foi reforçado. Mais de 20 carros do Batalhão de Choque estavam estacionados atrás da Câmara por volta das 6h30. Grades foram colocadas nas ruas próximas da Câmara e pessoas que passam pelo local são abordadas pelos policiais.

Plano de Cargos e Remunerações

 A manifestação de segunda-feira teve como objetivo pedir o cancelamento imediato do Plano de Cargos e Remunerações enviado pela Prefeitura aos vereadores. O prefeito do Rio, Eduardo Paes, e a secretária municipal de Educação, Claudia Costin, participaram de um chat (sala de bate-papo) pela internet, das 20h às 22h, quando responderam a mais de 40 perguntas enviadas por professores. Ele abriu a conversa fazendo uma defesa do plano de carreira do magistério, reafirmando que a prefeitura cumpriu a sua parte nos três acordos firmados com o Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe) desde o início da greve, em 8 de agosto. No entanto, os servidores da Educação argumentam que o projeto foi elaborado sem a participação da categoria, e por isso não contempla as reivindicações do setor.

 (com informações da Agência Brasil)

 

Vereadores querem suspender sessão para votar plano de carreira dos professores

Vladimir Platonow

 da Agência Brasil

 Os vereadores de oposição Renato Cinco (PSOL) e Leonel Brizola Neto (PDT) pediram que a sessão para votar o Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR) seja suspensa. Eles alegam que a Câmara dos Vereadores foi bloqueada ao acesso do público, com grades com mais de 2 metros de altura e o cerco de dezenas de policiais militares.

Para ter acesso ao Palácio Pedro Ernesto, sede da Câmara, é preciso se identificar e obter autorização de um coronel da Polícia Militar (PM). Depois, é necessária nova identificação, em uma segunda barreira, desta vez para funcionários da Câmara. Com isso, as galerias da Casa estão vazias. Além dos vereadores e dos funcionários, apenas profissionais de imprensa acompanham a sessão. O presidente da Câmara, vereador Jorge Felipe (PMDB), disse que ficou constrangido ao ver as galerias vazias e o acesso ao prédio interditado: “Pena, confesso, mas é nestas condições em que estamos.”

 Enquanto os vereadores discursam, pode ser ouvido o barulho de bombas de efeito moral usadas pela PM para dispersar os professores do lado de fora do prédio. A Avenida Rio Branco, uma das principais do centro, está bloqueada desde o período da manhã, assim como as ruas Evaristo da Veiga e Senador Dantas, o que provocou problemas no trânsito da região central.

 Os professores são contra o novo plano enviado pelo Executivo, pois alegam que serão prejudicados. O prefeito Eduardo Paes sustenta que a categoria será beneficiada, com a unificação de níveis e a extensão da carga horária para 40 horas.

//www.flickr.com/photos/55449636@N07/sets/72157636070908084/show/with/10030735455/«>http://www.flickr.com//photos/55449636@N07/sets/72157636070908084/show/with/10030735455/

 

Vídeo: Polícia ataca professores com spray de pimenta na Câmara Municipal do RJ – 28/09/2013 

  1. MIDIANINJA
NOTICIAS ANTICAPITALISTAS