Ordenado mínimo & 60 horas semanais

Caso o salário mínimo fosse actualizado desde 1974, repondo a inflação de cada ano, o seu valor seria em 2010 de 562 euros e não os 475 anunciados pelo governo. É impossível entusiasmar um povo que vive com um salário minimíssimo de 450 euros e que enfrenta a resistência, por parte dos empresários, a um aumento de 25 euros, recusando-se assim a pagar nem 1 euro por cada dia do mês! A ausência de escrúpulos desta gente brada aos céus. E vão às televisões ostentando fatos caríssimos e gravatas cujo preço é igual ou superior ao ordenado mínimo que pretendem limitar. Não têm vergonha, nem receio, pois o governo só decreta o aumento do salário mínimo nacional… sendo incapaz de impor a sua concretização. Portugal transformou-se (outra vez) numa quinta para uma dúzia de famílias…

O alargamento das 40 horas de trabalho para a 60 é um regresso ao século XIX. BE e PCP levaram uma proposta de lei à Assembleia da República para revogar a lei esclavagista das 60 horas. Não foi aprovada. O PS votou. Contra, claro! Este PS não é socialista, não é social-democrata, não é demoliberal à maneira italiana. Não é carne nem peixe. É só uma tábua de salvação dos patrões, para impor horários de escravatura.

NOTICIAS ANTICAPITALISTAS