Lbertad detenid@s

[Traducción al castellano]

Mais umha vez, Espanha lança os seus cans de presa contra galegas e galegos dignos. Sabemos como é o procedimento; o nosso povo leva séculos padecendo-o: homes armados e pagados polo Estado entram nas nossas casas para arrebatar-nos àquelas e àqueles que levam exactamente os mesmos séculos impedindo que a Galiza morra.

Hoje, ademais, todo um protocolo mediático e psicológico acompanha este tipo de operaçons: silêncios medidos, declaraçons pre-fabricadas, ameaças, condenas, presença policial…pretendem extender um clima de dessassosego e terror entre os círculos sociais e militantes daqueles que luitam. Os nossos companheiros detidos, as nossas comunicaçons intervidas, os nossos centros sociais assaltados, as nossas vidas ameaçadas….isso, exactamente isso, é o «estado de direito» espanhol. Umha maquinária desenhada e lubricada para romper a nossa tranquilidade e os nossos nervos, mas ante a que sabemos responder com serenidade, apoio mútuo, e as portas e os braços da nossa comunidade abertos de par em par.

Jessica Rodriguez, Eduardo Vigo e Teto Fialhega fôrom detidos hoje pola única organizaçom armada que leva aterrorizando o nosso povo desde hai geraçons: a Espanha dos militares golpistas, dos polícias torturadores, dos políticos ao serviço do Capital e dos oligarcas impunes. Os nossos dous companheiros e a nossa companheira, a quem o inimigo acusa de terroristas, som agora –no calabouço no que se encontrem, diante do mercenário que os custódia ou os interroga– o exemplo mais vivo da dignidade galega umha e mil vezes submetida à violência dos poderosos. Nós, quem nos sentimos orgulhosas e orgulhosos das suas trajectórias humanas e militantes, concentramo-nos hoje aqui para expressar ao mesmo tempo a nossa raiva e a nossa solidariedade,e, ademais:

1. Para informar a sociedade galega de que, mais umha vez, os médios mentem. De que os galegos e a galega detidos hoje nom representavam nengum perigo para a nossa sociedade, de que, de facto, só «aterrorizavam» àquelas e àqueles que querem governar sobre ovelhas, que nom consentem que este país de «paletos» e «coitadinhos» se empenhe umha e mil vezes em ser um povo de pessoas dignas, livres e rebeldes.

2. Se de algo serve, para exigir a um Estado ao que a democracia e os direitos humanos lhe provocam alérgia, o trato digno e respeituoso que todo prisioneiro merece. Alertamos da aplicaçom de medidas excepcionais e da supressom das garantias mínimas para os detidos e para a detida, e recordamos as denúncias insistentes que Espanha leva recebendo anto trás ano por parte dos mais prestigiosos organismos internacionais de defesa dos direitos humanos.

3. Para erguermos mais umha vez o punho da dignidade, do orgulho e da luita, esse mesmo punho que Jessi, Teto e Eduardo tenhem agora mesmo algemado, mas que neles, em nós próprios e nos que virám, representa a vontade galega de existir, de luitar e de vencer.

ANTES MORT@S QUE ESCRAV@S!
JESSI, TETO, EDUARDO, LIBERDADE!!
VIVA GALIZA CEIVE! VIVA A RESISTÊNCIA NACIONAL!

NOTICIAS ANTICAPITALISTAS