Hoje voltamos todos a Brasília

Hoje voltamos todos a Brasília

Com os despojos do nosso eterno presidente

Seremos recebidos todos com as honras e as cicatrizes de um futuro que não houve

E de um passado que não passa

 

Hoje voltamos todos a Brasília

Para cantarmos tudo o que não cantamos

Arrebanhar as almas penadas que ficaram dentro de nós

 A dos que se foram antes do tempo

E a nossa que aos pedaços com eles também se foi

 

Hoje voltamos todos a Brasília

Levamos em nossos olhos

Os olhares dos que ficaram para trás

Mas deixaram suas marcas em nossas retinas

E levamos junto os olhos de nossos filhos, de nossos netos

Com a esperança de que eles não vejam o que vimos

O futuro ser roubado de gerações inteiras

 

Hoje voltamos todos a Brasília

Com o peso do que perdemos no coração

 E as asas

 E as asas

 

E as asas

Batendo nas vidraças

Passando pelas grades

 Ruflando na escuridão

Entre as estrelas

 

Flávio Aguiar

Fotoarte: “Jango,Jango,Jango!”

NOTICIAS ANTICAPITALISTAS