Centenas mobilizam-se na Galiza em apoio à luita mineira e contra os cortes do Governo espanhol

Levamos semanas conhecendo dados das luitas mineiras que se estám a desenvolver em diferentes partes do Estado espanhol e da brutal repressom que estas zonas estám a sofrer.

Esta informaçom nom vem dos meios de comunicaçom do sistema que apenas a última hora se fam eco das novas, como é o caso de hoje na RTVE, que atrasou a informaçom sobre as cargas policiais que acabárom com mais de 70 pessoas feridas e 8 detidas até as 18:26h. Ainda mais demorou a CRTVG, que na altura de escrevermos esta informaçom nom tinha sido publicada, enquanto meios como a BBC informavam quase em tempo real sobre a repressom.

Solidariedade galega e protestos contra os novos cortes sociais e laborais

Para hoje estava convocada umha mobilizaçom de apoio à luita mineira na Corunha, convocadapor «A Corunha em Luita» diante da Subdelegaçom do Governo de Espanha. O espaço foi ocupado por mais de trescentas pessoas e estivo fortemenete custodiado polas forças repressivas.

A concentraçom da Corunha converteu-se numha manifestaçom que foi até a sede do Partido Popular protestando polos cortes impostos hoje polo governo espanhol, especialmente dirigidos contra os desempregados e desempregadas, que verám reduzidos os seus direitos a ajudas económicas com que até agora contavam. Durante o transcurso da mobilizaçom, houvo gritos como «Polícia assassina» e cortou-se o tránsito mediante umha sentada na rua. A polícia respondeu despejando a sentada violentamente, continuando as e os manifestantes lançando palavras de ordem contra a policia e contra o PP, contra a subida do IVA e restantes medidas contra a classe trabalhadora. 

Identificaçons policiais e umha pessoa detida é o balanço repressivo comunicado ao Diário Liberdade por pessoas participantes na mobilizaçom corunhesa.

No entanto, a Corunha nom foi a única cidade galega mobilizada hoje contra os cortes e em apoio ao setor mineiro. Em Compostela também fôrom centenas as autoconvocadas via internet na praça do Obradoiro contra os cortes sociais e laborais que aprofundam na ofensiva contra as classes populares da Galiza e doutros povos sob domínio espanhol.

Em Vigo e Ferrol também houvo concentraçons espontáneas contra os cortes do governo espanhol, expressando o rejeitamento popular e o apoio à luita mineira.

Por seu turno, a CIG convocou os trabalhadores e trabalhadoras públicas galegas a se mobilizarem nesta sexta-feira contra a arbitrária supressom de umha das duas pagas anuais, num novo ataque direto aos direitos laborais das empregadas e dos empregados públicos dentro da série de medidas aprovadas hoje mesmo em Madrid.

Para saber mais Diario liberdade

NOTICIAS ANTICAPITALISTAS