Brasil#VazaJato. Documentos inéditos sobre Moro e Dallagnol. Farsa Jurídica!

A maior farsa jurídica da história do Brasil, que condenou o ex-presidente Lula sem provas e impediu sua eleição para a presidência da República, pode estar começando a ser desmascarada. O anúncio foi feito pelo jornalista Gleen Greenwald, que foi também responsável pela divulgação dos documentos de Edward Snowden, da NSA.

«O arquivo fornecido pela nossa fonte sobre o Brasil é um dos maiores da história do jornalismo. Ele contém segredos explosivos em chats, áudios, vídeos, fotos e documentos sobre @deltanmd, @SF_Moro e muitas facções poderosas. Nossas reportagens acabaram de começar. #VazaJato», escreveu.

Comentário de Fernando Haddad :

«Podemos estar diante do maior escândalo institucional da história da República». «Muitos seriam presos, processos teriam que ser anulados e uma grande farsa seria revelada ao mundo. Vamos acompanhar com toda cautela, mas não podemos nos deter. Que se apure toda a verdade!»

 O ex-prefeito e ex-candidato à Presidência da República pelo PT Fernando Haddad usou as redes sociais para comentar a reportagem do The Intercept Brasil que revela a manipulação de fatos pela Lava Jato visando alterar o resultado da última eleição presidencial. Haddad é a principal vítima da atuação revelada pelas mensagens da Lava Jato, que atuou para não apenas condenar e prender Lula, mas como tirá-lo da disputa presidencial e até impedi-lo de dar entrevistas.

Os diálogos comprovam ainda que Moro, na época juiz que concentrava as decisões da operação, agiu ilegalmente contra Lula, como parte auxiliar da acusação, em vez de distante e imparcial e que Deltan Dallagnol acusou Lula sem acreditar nas provas.

Nota de Cristiano Zanin Martins

“Documentos provam que processos foram corrompidos e liberdade de Lula é urgente” – Advogado do ex-presidente, Cristiano Zanin Martins

Diante da divulgação de mensagens secretas trocadas entre procuradores da Lava Jato, que comprovam que o ex-juiz Sérgio Moro atuou como auxiliar da acusação, instruindo, aconselhando e dando pistas ao procurador Deltan Dallagnol, a defesa do ex-presidente Lula divulga a seguinte nota:

Nota de Cristiano Zanin Martins

Em diversos recursos e em comunicado formalizado perante o Comitê de Direitos Humanos da ONU em julho de 2016 demonstramos, com inúmeras provas, que na Operação Lava Jato houve uma atuação combinada entre os procuradores e o ex-juiz Sérgio Moro com o objetivo pré-estabelecido e com clara motivação política, de processar, condenar e retirar a liberdade do ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A reportagem publicada hoje (09/06/2019) pelo portal «The Intercept» revela detalhes dessa trama que foi afirmada em todas as peças que subscrevemos na condição de advogados de Lula a partir dos elementos que coletamos nos inquéritos, nos processos e na conduta extraprocessual dos procuradores da Lava Jato e do ex-juiz Sergio Moro.

A atuação ajustada dos procuradores e do ex-juiz da causa, com objetivos políticos, sujeitou Lula e sua família às mais diversas arbitrariedades. A esse cenário devem ser somadas diversas outras grosseiras ilegalidades, como a interceptação do principal ramal do nosso escritório de advocacia para que fosse acompanhada em tempo real a estratégia da defesa de Lula, além da prática de outros atos de intimidação e com o claro objetivo de inviabilizar a defesa do ex-Presidente.

Ninguém pode ter dúvida de que os processos contra o ex-Presidente Lula estão corrompidos pelo que há de mais grave em termos de violações a garantias fundamentais e à negativa de direitos. O restabelecimento da liberdade plena de Lula é urgente, assim como o reconhecimento mais pleno e cabal de que ele não praticou qualquer crime e que é vítima de «lawfare», que é a manipulação das leis e dos procedimentos jurídicos para fins de perseguição política.

 

PS do colaborador:

Fotoarte: “Gleen Greenwald e #VazaJato”

 

NOTICIAS ANTICAPITALISTAS