Brasil:Todos ao ato na USP

Em resposta à decisão do preposto de Serra na USP, João Grandino Rodas, de expulsar seis estudantes por protesto político e luta por moradia estudantil, foi convocado um ato hoje, 19 de dezembro. A concentração para o ato será em frente à reitoria da USP, às 13h.

Com a comum covardia da direita e da burocracia universitária, o indicado de Serra (PSDB) na USP expulsou seis estudantes no início das férias, momento em que sabe das dificuldades em mobilizar um amplo setor da comunidade universitária.

O funcionário Claudionor Brandão, diretor do Sindicato dos Trabalhadores da USP, foi demitido em dezembro de 2008. Os sete estudantes da Unesp do campus de Franca foram expulsos em dezembro de 2005, na Unesp de Araraquara, dois estudantes da Aliança da Juventude Revolucionária foram suspensos nas férias de julho, em 2006. Esta é a «democracia» de Rodas: processos-farsa, repressão com a polícia militar e decisões ao apagar das luzes.

Apesar de a universidade alegar ter garantido o direito de ampla defesa, os estudantes não puderam acompanhar o processo e nem ter suas testemunhas ouvidas.

Rodas assinou as expulsões publicadas no Diário Oficial de São Paulo, baseado no decreto do período tenebroso da ditadura militar, n° 52.906, de 27 de março de 1972, no artigo 249
– «pena de eliminação definitiva nos casos em que for demonstrado, por meio de inquérito, ter o aluno praticado falta considerada grave.»

A decisão de Rodas neste momento está diretamente ligada à colocação de seu plano de privatização em marcha. É preciso criar as condições e para isso está expulsando os que se opõe a destruição da universidade.

Rodas quer com esta medida amordaçar o setor que mais se mobiliza e age diante das arbitrariedades da reitoria para impor seu plano de retenção de verbas e destruição da universidade, com sua privatização.

Ele e o governo do PSDB agem de maneira muito consciente como podemos ver em sua resposta à revista Veja «O senhor é a favor de cobrar mensalidade dos estudantes? (…) «João Grandino Rodas – O Brasil é um dos únicos no mundo a garantir a gratuidade a todos os alunos de universidade mantidas com o dinheiro do governo. Curiosamente, são aqueles que se dizem mais conhecedores do sofrimento dos brasileiros menos favorecidos, os primeiros a agitar a bandeira do ensino superior gratuito para todos, inclusive para os que podem pagar. Acho, porém, difícil que se mexa nisso agora. De imediato, podemos obter mais dinheiro firmando novas parcerias com a iniciativa privada. Mas, sempre que acontece, volta à cena o velho bordão de ‘estão querendo privatizar a nossa universidade’. É uma bandeira ideológica a ser combatida.» (entrevista publicada no dia 27 de outubro de 2010, clique aqui para ler)

A iniciativa de realização do ato é de extrema importância. Os estudantes devem dar uma resposta imediata contra Rodas. Isso só pode ser feito de maneira independente da burocracia estudantil como o PCdoB, PT, Psol e PSTU e desta maneira levar adiante esta importante e decisiva luta em defesa da universidade pública e gratuita.

Estudantes da Unesp, Unicamp,Unifesp e demais universidades irão se incorporar ao protesto contra a ditadura na USP contra o movimento estudantil.

– Todos ao Ato!
Revogação das expulsões, fora Rodas!

– Segunda-feira, 19 de dezembro com a Concentração em frente à reitoria da USP, às 13h.

NOTICIAS ANTICAPITALISTAS