Brasil: Semana de Mobilizações [Áudiocomentário]

Publicidad

É hora de atacar a agenda do retrocesso, com atos contra a terceirização e o partido da mídia

O analista político da Rádio Brasil Atual, comenta sobre as perspectivas da semana, em especial, as manifestações das centrais sindicais contra a terceirização e a manifestação da direita, marcada para o dia 12 de abril.

O comentarista denuncia o famigerado projeto de Lei 4.330 que determina «terceirização ampla, geral e irrestrita», motivo de protesto das centrais sindicais, programados em todo o país. «Perigosíssimo», segundo Vannuchi, o projeto garantiria «ampla liberdade para os empresários atacarem os direitos sindicais consolidados, em nome de uma suposta eficiência» e ocorre em momento de «debilidade das forças democráticas e progressistas».

Vannuchi aponta que tal iniciativa faz parte do conjunto de medidas que buscam impor uma agenda conservadora, juntamente com a iniciativa de redução da maioridade penal, aproveitando-se da debilidade da conjuntura política, «sob a batuta de Eduardo Cunha».

Sobre a manifestação da direita, marcada para o dia 12, Vannuchi diz olhar com atenção a postura dos grandes veículos de imprensa, o «partido da mídia» como ele se refere, se vão repetir a mesma «sanha» convocatória do dia 15 de março e estimular a mobilização, ou se vai ser mais moderada.

O comentarista afirma que a manifestação deve reunir segmentos diferentes, desde uma minoria «ruidosa» que pede pelo retorno da ditadura, os que querem o impeachment de Dilma Rousseff, «sem qualquer base jurídica», segundo Vannuchi, os querem ver a presidenta «sangrar», mote sugerido pelo senador tucano Aloysio Nunes (PSDB-SP), e, ainda, aqueles que querem manifestar «amplo descontentamento», que o comentarista reconhece como legítimo, dadas as dificuldades econômicas e de erros do governo e do PT na condução política.

Vannuchi diz querer observar, na manifestação de domingo, «se haverá uma única mísera faixa de protesto sobre a corrupção no Metrô», ou sobre outros casos famosos como o mensalão mineiro, que envolve o PSBD, ou, ainda, os novos escândalos relacionados às contas secretas do HSBC, e das fraudes na Receita Federal no âmbito da Operação Zelotes, da Polícia Federal que, citando o jornalista Elio Gaspari de O Globo como fonte, pode chegar a cerca de meio trilhão de reais, superando, por ampla margem, todos os demais casos de corrupção.

O comentarista lembra que já faz um ano que o mensalão mineiro foi enviado, pelo Supremo Tribunal Federal, de volta à primeira instância, nos tribunais de Minas e, desde então, segue parado. Segue parada também a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) movida pela Ordem dos Advogados do Brasil, que questiona o modelo de financiamento privado das campanhas eleitorais. O ação já conta com placar definido em favor da fim de tal sistema, mas o ministro Gilmar Mendes pediu vistas do processo, impedindo, também há mais de um ano, a conclusão da votação.

Ouça o comentário completo da Rádio Brasil Atual:

También podría gustarte

Los comentarios están cerrados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More