Brasil. Por onde andam Ibope e Datafolha?

Publicidad

Mas o jornal não lhe deu uma resposta.

Mistério das pesquisas: por onde andam Ibope e Datafolha?

Qual é o mistério? Avaliações de governos, presidentes e presidenciáveis costumavam ser mensais e, às vezes, eram publicadas até em intervalos menores, no auge da crise do impeachment, mas as últimas pesquisas do Ibope e do Datafolha, os dois grandes institutos de pesquisa do país, foram divulgadas no começo do já longínquo mês de abril.

De lá para cá, tanta coisa mudou, virou tudo de cabeça para baixo, trocamos de governo, situação virou oposição e vice-versa, e a Operação Lava Jato continua a mil por hora, com o vazamento de novas gravações, delações e depoimentos explosivos quase todos os dias, atingindo políticos de todas as latitudes dos principais partidos.

O governo interino ainda não completou o primeiro mês, é verdade, mas não se trata de avaliar apenas a popularidade do presidente em exercício. Penso que o eleitorado gostaria de saber muitas outras coisas sobre o que os brasileiros estão pensando neste momento a respeito de tudo que se passa em meio ao tsunami político sem dia para acabar.

Algumas sugestões:

* Quem é hoje a favor ou contra o impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff e do interino Michel Temer?

* Quem defende a renúncia dos dois?

*Quem defende ou não as reformas propostas e já adotadas em várias áreas pelo governo interino de Michel Temer?

* Quem quer um plebiscito para convocar novas eleições antecipadas (presidenciais ou gerais)?

* Quem quer a permanência de Michel Temer até 2018?

* Quem é a favor da mudança de regime para o parlamentarismo?

* Quem defende uma assembléia constituinte exclusiva para fazer a reforma política?

* Quem concorda com o aumento concedido aos funcionários públicos?

* Quem está a favor ou contra o ajuste fiscal proposto pela equipe econômica?

* Quem defende a antecipação para julho do julgamento final do impeachment?

* Quem concorda ou não com Dilma ao denunciar todo dia que foi afastada por um golpe parlamentar para segurar a Lava Jato?

* Qual é o maior problema do país hoje a ser enfrentado com absoluta prioridade?

Poderia passar o resto do dia listando aqui as perguntas que as pessoas  estão-se fazendo umas às outras para saber o que vai acontecer _ e encontrar as respostas é uma bela tarefa para nossos institutos de pesquisa sempre tão prolíficos em outros tempos.

Algumas das perguntas feitas acima constavam da última pesquisa do Datafolha, divulgada no dia 9 de abril, e é preciso saber se as opiniões continuam as mesmas ou se mudaram:

* A taxa dos que defendiam a renúncia de Dilma e de Temer era a mesma: 60%.

* Já o apoio ao impeachment de Dilma caíra de 68% no levantamento anterior, realizado nos dias 17 e 18 de março, para 61% nesta última pesquisa, feita nos dias 7 e 8 de abril.

* A taxa dos que defendiam o impeachment de Temer era semelhante, de 58%. Eram contrários à saída do então vice-presidente 28%.

* No caso de vacância dos cargos de presidente e vice-presidente, 79% dos brasileiros eram favoráveis à realização de uma nova eleição para a Presidência da República e 16% contrários.

Segundo o último Ibope, divulgado mais ou menos na mesma época, apenas 8% da população preferia a solução que estava sendo adotada, com impeachment de Dilma e Michel Temer presidente. Para superar a crise política no país, segundo o instituto, a maioria era a favor da saída dos dois e a realização de novas eleições (62%) e outros 25% queriam a permanência de Dilma.

Se as equipes do Datafolha e do Ibope fossem a campo amanhã poderiam _ ou não _ encontrar números bem diferentes. Pelo menos, nossos analistas políticos e o restante da população não continuariam tateando no escuro.

Vida que segue.

No Balaio do Kotscho

Fotoarte: «Kotscho»

 

También podría gustarte

Los comentarios están cerrados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More