Brasil: Plínio partiu. Viva Plínio!

A esquerda brasileira perde um grande combatente: militante há mais de cinco décadas, o candidato à Presidência da República em 2010 pelo Partido Socialismo e Liberdade (Psol) iniciou sua luta socialista na Juventude Universitária Católica (Juc).

Promotor público, Plínio foi relator do projeto de reforma agrária do governo João Goulart. O enfrentamento ao latifúndio rendeu-lhe a cassação de liberdades políticas no Ato Institucional número 1, assinado pelo general Arthur da Costa e Silva dias antes do golpe empresarial-militar.

De volta ao Brasil em 1976, participou da fundação do Partido dos Trabalhadores (PT). Eleito deputado federal em 1985 e deputado federal constituinte em 1988, Plínio saiu do PT em 2005, quando acreditava não ser mais possível reverter os rumos da ferramenta política que ajudou a construir.

O ex-candidato a presidente traduzia «A People’s History of the World», de Chris Harman.

Aos 82 anos, o militante do Psol compareceu ao primeiro dos atos de junho do ano passado contra o aumento da tarifa.

Autor de livros como Construindo o Poder Popular e O Brasil é viável?, Plínio era diretor do portal de notícias Correio da Cidadania.

Viva Plínio!

NOTICIAS ANTICAPITALISTAS