Brasil. O que é ser fascista?

Publicidad

 

O que é ser fascista? É criar um inimigo para odiar e destruir com mentiras e violência

Fascismo é concreto quando os trabalhadores têm medo de não encontrar emprego, do filho desistir da escola e entrar no crime; medo de ser assaltado em casa ou no caminho, medo de não ser atendido quando precisar de médico. Fascismo é concreto quando os ricos e as classes médias têm medo de perder seus privilégios.

Fascismo é concreto quando, junto com o medo, perdemos a esperança na liberdade, na democracia para resolver nossos problemas. E quando acreditamos que a violência é a saída para resolver os conflitos, as diferenças de ideias, de crenças, de valores.

É diante do medo, da descrença, do apelo à violência que o fascismo cresce.

O fascismo cresce, ao criar um “demônio”, um bode expiatório, a ser culpado de todos os nossos males. E, ao mesmo tempo, cria um “salvador”, um mito que supostamente vá proteger e salvar a todos daquele “inimigo” criado por mentiras repetidas milhares de vezes.

O processo eleitoral que assistimos agora no Brasil está sendo fabricado deste jeito:  Bolsonaro está sendo habilmente construído como o salvador do Brasil. E o PT supostamente como o culpado de tudo que é ruim. Esta estória, na verdade, não é nova. Outros fascistas foram assim construídos. O inimigo número 1 de Hitler era o povo judeu que ele quase exterminou nos campos de concentração. No Brasil, Collor foi também fabricado como “salvador da pátria”. E deu no que deu…

A criação deste “salvador” no Brasil de hoje tem fabricantes muito bem pagos: os “especialistas” para fazer funcionar máquinas e robôs que divulgam diariamente, através dos WhatApps, milhares de mentiras a milhões de pessoas que nelas acreditam porque precisam de esperança.

Também a “fabricação” do PT como o “culpado” tem fabricantes bem pagos:  os tribunais que seletivamente “punem” suas lideranças mais importantes  e protegem os dirigentes dos demais partidos, tornando, assim, o jogo eleitoral  injusto, pois com armas desiguais de propaganda; e, de outro, os meios de comunicação (TV, rádios, blogs falsos) e a campanha do opositor que, tentam extrair dividendos eleitorais  destes processos judiciais seletivos,  e se referem aos membros do PT como se fossem “os ladrões” do país e ao prisioneiro político Lula como se fosse um culpado de crime comum.

A tentativa de fazer do PT o culpado aparece ainda na artimanha de fazer recair em seus ombros o peso do desemprego de milhões de trabalhadores e a crise econômica. Como todos sabem, o desemprego chegou a este ponto foi pelas políticas do governo Temer com o apoio de Bolsonaro na Câmara dos Deputados. Bolsonaro também votou para tirar os direitos dos trabalhadores.   Demonizar o PT permite ainda que ele esconda na campanha sua associação com Temer, pois Bolsonaro é Temer.

Associar Bolsonaro com Temer e com suas políticas contra os trabalhadores é importante para que todos reconhecem a verdade que ele quer esconder: ele está contra as famílias dos trabalhadores. Ele é um falso salvador da pátria, um falso mito.

*Maria Rita Loureiro é Professora da FGV/SP

 .

https://www.cartamaior.com.br/?/Editoria/Antifascismo/O-que-e-ser-fascista-e-criar-um-inimigo-para-odiar-e-destruir-com-mentiras-e-violencia/47/42022

También podría gustarte

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More