Brasil: Nota da Federação Única dos Petroleiros

 

Em nota, a Federação Única dos Petroleiros afirma que essas denúncias de corrupção na estatal estão diretamente relacionadas com o intenso processo de terceirização em curso

Brasil de Fato

Após a Polícia Federal realizar a Operação Lava Jato, que culminou na prisão de 23 pessoas, a Federação Única dos Petroleiros (FUP) divulgou uma nota dizendo que essas denúncias de corrupção estão diretamente relacionadas com o intenso processo de terceirização em curso na estatal. Segundo a FUP, isso ocorre desde os anos 90, portanto, “exige apuração rigorosa dos fatos.”

“A Petrobras tem um papel estratégico para o desenvolvimento do país e, portanto, todas as denúncias de desvios de gestão devem ser rigorosamente apuradas pelos órgãos competentes para que a Justiça possa julgar e punir os culpados”, disse trecho da nota divulgada na sexta-feira (14).

A Operação Lava Jato investiga um esquema de lavagem de dinheiro que teria movimentado cerca de R$ 10 bilhões e provocou desvio de recursos da Petrobras, segundo investigações da Polícia Federal e do Ministério Público Federal. Na primeira fase da operação, deflagrada em março deste ano, foram presos, entre outras pessoas, o doleiro Alberto Youssef e o ex-diretor de Refino e Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa.

 

Nota do Coordenador Geral da Federação Única dos Petroleiros (FUP):

“A prisão nesta sexta-feira (14), de mais um ex-diretor da Petrobras, acusado de corrupção em contratos de prestação de serviços firmados pela empresa, reforça as cobranças da FUP de que haja a mais rigorosa apuração dos fatos e punição exemplar de todos os que forem responsabilizados pelos mal feitos.

Esta tem sido a postura da FUP desde o início da divulgação destas denúncias. No entanto, apesar da gravidade dos fatos, a direção da Petrobras segue num silêncio profundo.

Os trabalhadores e suas famílias exigem um posicionamento da empresa. Por isso, a FUP cobrou uma audiência com a presidenta da Petrobras para que esclareça o teor das denúncias, bem como as medidas tomadas pela empresa para apuração e solução dos desvios de gestão que forem comprovados. Não deve ficar pedra sobre pedra, como reiterou a presidenta Dilma Rousseff.

A reunião com Graça Foster será no próximo dia 21. Em documento enviado à presidenta da Petrobras, a FUP já havia ressaltado que as denúncias de corrupção estão diretamente relacionadas com o intenso processo de terceirização em curso na estatal desde os anos 90.

A Petrobras tem um papel estratégico para o desenvolvimento do país e, portanto, todas as denúncias de desvios de gestão devem ser rigorosamente apuradas pelos órgãos competentes para que a Justiça possa julgar e punir os culpados.

O que não admitimos é que a empresa continue sendo desmoralizada por setores da sociedade que sempre tentaram enfraquecê-la e seguem fazendo de tudo para se apropriarem de uma das maiores riquezas da nossa nação, que é o pré-sal. Não aceitamos também que a Petrobras continue sendo alvo de uma campanha de criminalização por setores da mídia que agem em consonância com a oposição para tentar arquitetar um golpe que vem sendo ensaiado desde o segundo turno da eleição presidencial.

A Petrobras é patrimônio do povo brasileiro e os petroleiros continuarão lutando para que ela seja fortalecida cada vez mais para investir no Brasil, gerando empregos e riquezas para o nosso país.

Apuração rigorosa dos fatos sim. Golpe não!”

 

José Maria Rangel

Coordenador Geral da Federação Única dos Petroleiros (FUP)

17 novembro, 2014

 

NOTICIAS ANTICAPITALISTAS