Brasil. Morreu o grande Audálio Dantas, um digno cidadão brasileiro

Publicidad

 

Fiquei sabendo agora pela Thaís, neta dele, que trabalha com minha filha Mariana, uma notícia muito triste para todos os jornalistas e cidadãos brasileiros: morreu meu amigo Audálio Dantas, um cara que batalhou pela vida até o seu último suspiro.

Estive com ele poucos dias atrás num almoço com velhos amigos no Hospital Premier, onde ele viveu seus últimos dias, com a mesma dignidade de toda uma longa jornada de lutas, nem sei de quantos anos, porque até hoje há controvérsias, mas foram muitos, alguma coisa entre 80 e 90.

Trabalhou até onde deu, vivia com muito aperto apenas dos seus escritos, que lhe garantiam a sua sobrevivência e a da brava e unida família Dantas, comandada pela guerreira Vanira.

Audálio há tempos sofria de muitos achaques da saúde, um após outro, mas tenho certeza de que morreu foi mesmo de tristeza, ao ver o que fizeram do seu país, pelo qual sempre foi muito apaixonado.

Nas nossas últimas conversas, ele já estava desesperançado de que a nossa geração ainda conseguisse ver o Brasil com que sonhamos a vida toda, mais justo, mais humano, mais decente.

Sertanejo valente dos sertões das Alagoas, este brasileiro de muito talento e firmeza foi um dos protagonistas da passagem da ditadura para a democracia quando falar a verdade era correr risco de vida.

Para quem quiser saber mais sobre a sua história, é só entrar no Google, porque agora vou ao velório para ver se é verdade que ele morreu mesmo.

Homens como Audálio Dantas nunca deveriam morrer, mas continuarão vivos na nossa lembrança.

 

 Balaio do Kotscho

.

Morreu o grande jornalista Audálio Dantas, um digno cidadão brasileiro

 


Aos 89 anos, morre em São Paulo o jornalista Audálio Dantas

Referência na luta pelos direitos humanos e premiado pela ONU, Dantas era presidente do Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo na época da ditadura militar e foi uma das principais vozes a denunciar a tortura e o assassinato de Vladimir Herzog.

Faleceu na tarde da quarta-feira (30) em São Paulo, aos 88 anos, o jornalista, escritor e poeta Audálio Dantas.

Ele estava internado no Hospital Premie desde abril para tratar de um câncer de intestino que o acompanhava desde 2015.

Considerado um dos maiores jornalistas do país, Audálio Dantas era referência na luta pelos direitos humanos e foi uma das principais vozes a denunciar a tortura e assassinato de seu colega jornalista Vladimir Herzog em 1975. Na época,

Dantas era presidente do Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo e suas denúncias contrariavam a versão oficial do governo militar sobre a morte de Herzog. As forças repressoras falavam em suicídio.

Em 1981, Audálio Dantas recebeu o Prêmio de Defesa dos Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU).

Ele foi o primeiro presidente eleito por voto direto da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) e deputado federal pelo MDB de São Paulo na década de 1970. Como jornalista, Dantas trabalhou nas  revistas O Cruzeiro e Quatro Rodas e no jornal Folha da Manhã. 

Audálio Dantas nasceu em Tanque D’Árca (Alagoas) em 1929, era casado com Vanira Kunc e pai de quatro filhos.

A família ainda não deu informações sobre o velório.

 

Agência Brasil

.

https://www.revistaforum.com.br/aos-89-anos-morre-em-sao-paulo-o-jornalista-audalio-dantas/

 

 

 

También podría gustarte

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More