Brasil. Moro é um irresponsável! [Vídeo]

Publicidad

A Polícia Federal entregou à Justiça na 6ª feira (12.ago) o relatório final sobre a fase Triplo X da Lava Jato, deflagrada em 27.jan.2016.

Foram indiciados a publicitária Nelci Warken (que admitiu ser a verdadeira dona de um tríplex no Condomínio Solaris, no Guarujá) e funcionários da Mossack Fonseca no Brasil.

As informações são do repórter do UOL André Shalders.

O relatório final da PF foi tornado público pelo juiz Sérgio Moro no final da tarde de hoje (18.ago) [na íntegra, ao final].

Além de Nelci, são arroladas Maria Mercedes Riaño (chefe do escritório da Mossack no Brasil), Luis Fernando Hernandez, Rodrigo Andrés Cuesta Hernandez, Ricardo Honório Neto e Renata Pereira Britto, que trabalhavam para a Mossack. Também é indiciado o empresário Ademir Auada, que intermediava negócios para a Mossack.

O ex-presidente Lula e seus familiares não foram indiciados. A real propriedade do apartamento do Guarujá, porém, é apurada em uma investigação à parte. A defesa do ex-presidente pediu a Sérgio Moro acesso à essa apuração na tarde de hoje (18.ago). Ainda não há decisão.

(…)

“ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA TRANSNACIONAL”

No documento de cinco páginas, a PF descreve a Mossack Fonseca como uma “organização criminosa de caráter transnacional, estruturalmente ordenada e caracterizada pela divisão de tarefas, voltada para a prática do crime de lavagem de dinheiro”.

“As diligências efetuadas revelaram que a atividade principal da Mossack guardava relação com a abertura de empresas offshore, de forma a ocultar seus verdadeiros sócios e responsáveis. Nesse sentido, todos os que trabalhavam na empresa tinham plena ciência de que atuavam em um mercado voltado à demanda do trânsito de valores e bens de origem suspeita e duvidosa. Por tal motivo, foram indiciados como incursos no art. 1, par. 2º, inciso II da Lei 9.613/98”, diz outro trecho do relatório.

A lei mencionada é a que trata de lavagem de dinheiro.

PS do Viomundo:

Três fatos chamam-nos, particularmente, a atenção.

1-Primeiro, o juiz Sérgio Moro demorou sete dias para tornar pública a informação de que o ex presidente Lula não é dono do triplex no Guarujá (SP).

2-Segundo, Moro divulgou o relatório da PF no mesmo dia em que negou três vezes à defesa do ex-presidente o acesso ao inquérito. Por que o jogo de esconde-esconde? Afinal, o que o juiz teme?

3-Terceiro, o título da matéria de Fernando Rodrigues, em seu blog no UOL, sobre o relatório da PF. Lula não é a manchete. Ficou relegado a um relés subtítulo, que linka para uma matéria secundária. Já pensaram como seria essa manchete se a conclusão da PF incriminasse Lula e/ou seus familiares?

Só ratifica o que o deputado Wadih Damous denuncia no vídeo sobre o comportamento da mídia em relação ao ex-presidente Lula e ao PT. Para difamar, letras garrafais, manchetões e mais manchetões.

 Na hora de desmentir, o assunto desaparece. Conceição Lemes 

Relatorio PF TriploX18ago2016 by Conceição Lemes on Scribd

Vídeo: Damous e o triplex: Moro é um irresponsável!

Conversa Afiada

También podría gustarte

Los comentarios están cerrados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More