Publicado en: 30 octubre, 2015

Brasil: Ministro da Justiça pede explicações à PF

Por 247

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, enviou um pedido de esclarecimentos à Polícia Federal sobre as circunstâncias em que Luis Claudio Lula da Silva foi intimado na terça (27) à noite.

Cardozo pede explicações à PF sobre intimação às 23h

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, enviou um pedido de esclarecimentos à Polícia Federal sobre as circunstâncias em que Luis Claudio Lula da Silva, filho do ex-presidente Lula, foi intimado na terça-feira (27) à noite. Ele recebeu o documento da PF na terça-feira, às 23h, na sua casa, em São Paulo, após participar da comemoração do aniversário do pai.

No documento remetido à PF, o ministro se dirige ao diretor-geral da corporação, Leandro Daiello. “Solicito imediatos esclarecimentos para fins de avaliação ministerial do ocorrido”, pede Cardozo no ofício. O ministro quer que a PF formalize o horário exato em que ocorreu e as razões para a intimação ter sido entregue no final da noite.

“Senhor diretor-geral, tendo em vista a informação divulgada pela imprensa de que o senhor Luís Claudio Lula da Silva teria sido intimado, em tese, fora do procedimento usual, para prestar depoimento em inquérito policial, solicito imediatos esclarecimentos para fins de avaliação ministerial do ocorrido”, diz o documento, na íntegra.

O ex-presidente Lula disse mais cedo estar “indignado” com a intimação de seu filho pela Polícia Federal para depor no inquérito da Operação Zelotes. O presidente do PT, Rui Falcão, disse que a intimação do filho do ex-presidente foi “mais uma arbitrariedade” cometida pela Polícia Federal. Falcão disse inclusive que “intimar alguém às 23h é ilegal”.

A defesa de Luis Cláudio requereu uma nova data para ele prestar depoimento (aqui). Já a juíza responsável pela Operação Zelotes disse desconhecer o pedido da PF para ouvir o filho de Lula. Em nota, a juíza esclareceu que não há processos relacionados à Zelotes, pelo fato de os investigados não terem sido denunciados pelo Ministério Público Federal (MPF). “Sou a única juíza com atribuição para os procedimentos judicializados da Operação Zelotes.

Digo procedimentos, e não processos, pois ainda não foi oferecida nenhuma denúncia por parte do MPF. Somente haverá processo penal propriamente dito se vier a ser recebida eventual denúncia oferecida pelo MPF”, disse a juíza (mais aqui).

 

Fotoarte: “Ministro Republicano”

 

-->
COLABORA CON KAOS