Brasil: Lula o elogia José Eduardo Cardozo na AGU


Lula elogiou o antigo desafeto, que conseguiu fazer com que o veredicto sobre sua nomeação deixe a alçada de Moro

Depois de pressionar pela saída de José Eduardo Cardozo do Ministério da Justiça, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse a parlamentares do PT que «o rapaz» agora está «no lugar certo», à frente da Advocacia Geral da União (AGU).

Um mês após a transferência de Cardozo para a AGU, o ex-presidente elogiou o antigo desafeto, que conseguiu uma vitória jurídica – ainda em caráter provisório – ao fazer com que o veredicto sobre sua nomeação para a Casa Civil deixe a alçada do juiz Sérgio Moro.

A expressão «o rapaz» foi usada por Lula numa conversa telefônica interceptada pela Polícia Federal com o então ministro da Casa Civil, Jaques Wagner. No diálogo, ocorrido na manhã de 1.º de março, Lula dizia que achava melhor não ir mais a Brasília naquele dia para se encontrar com a presidente Dilma Rousseff, como estava combinado, já que, na véspera, Cardozo havia saído da Justiça.

Wagner concordou ao lembrar que Dilma também se preocupara com a interpretação que seria dada ao encontro. «Depois vão dizer que ele (Lula) só veio aqui pra comemorar o bota fora (de Cardozo)», afirmou Wagner a Lula, repetindo palavras de Dilma. Três dias depois, o ex-presidente foi alvo de condução coercitiva da Polícia Federal, no rastro da Operação Aletheia.

Nomeado ministro da Casa Civil em 16 de março, Lula até hoje não conseguiu assumir o posto. Ações na Justiça questionaram a escolha, sob o argumento de que o ex-presidente, investigado pela Lava Jato, buscava entrar no ministério apenas para obter prerrogativa de foro no Supremo Tribunal Federal, escapando de Moro, considerado «parcial» pelos petistas.

Em resposta à Advocacia Geral da União, comandada por Cardozo, o ministro Teori Zavascki – relator da Lava Jato no Supremo – determinou que Moro enviasse à Corte todas as investigações sobre Lula, incluindo as conversas grampeadas.

Embora Teori não tenha anulado a liminar concedida pelo ministro do Supremo Gilmar Mendes, que suspendeu a nomeação de Lula, a expectativa é que o imbróglio sobre a posse na Casa Civil só seja resolvido pelo plenário da Corte, no início de abril.

O relator da Lava Jato no Supremo acatou a alegação da AGU, que acusou Moro de ter cometido uma ilegalidade, pondo em risco a «soberania nacional». Roberto Teixeira e Cristiano Martins, advogados de Lula, também recorreram contra o despacho de Mendes classificado por eles como «um grande absurdo».

Foi nesse contexto que o ex-presidente disse estar muito satisfeito com a atuação de Cardozo, a quem sempre acusou de «falta de autoridade» no Ministério da Justiça, por não «controlar» a Polícia Federal. «Ele agora está no lugar certo», comentou Lula, segundo relato de deputados e senadores do PT e do PMDB.

Mesmo assim, o ex-presidente está tendo muita dificuldade na tarefa de salvar Dilma do impeachment. Impedido de despachar no Palácio do Planalto, ele não conseguiu até agora conversar com o vice Michel Temer, que comanda o PMDB. Em reunião marcada para a próxima terça-feira, o Diretório Nacional do PMDB deve aprovar o rompimento com o governo.

 

Vídeo:Fora do Ministério ele esculhamba os vazamentos. Qua, qua, qua!

Conversa Afiada

NOTICIAS ANTICAPITALISTAS