Brasil-Lixão:Lembrando “Estamira” do Jardim Gramacho[Documentário]

Como não era estrela Global , muito menos celebridade ou socialite carioca com plano de saúde VIP  do Hospital Copa D’Or ,Copacabana, Zona Sul, ficou literalmente abandonada nos corredores do Hospital Miguel Couto, Gávea, Zona Sul, só o filho como testemunha. E isso com um quadro de infecção generalizada, mais conhecida como septicemia.Nada de espantar, para os milhares de brasileiros mortais e indigentes da Saúde Publica. Em fim, a banalização do óbito pela falta de atendimento eficiente é assunto bombástico nos noticiários das TVs, não é mesmo?Tudo combinado. Assim se foi Estamira, 70, no dia 28 de julho de 2011.

Recordo que um jornalista da grande imprensa anotava : “Ernani, um dos três filhos deixados por Estamira, ainda não sabe exatamente qual será o destino do corpo da mãe. “Estamos querendo fazer o sepultamento no Cemitério do Caju, onde minha avó foi enterrada, mas ainda não tive muito tempo para resolver essas coisas. Por isso, não sei quando será o enterro».

O corpo de Estamira foi enterrado no dia 29 de julho, no cemitério do Caju, mesmo local onde sua mãe está sepultada.

A estrela protagonista do documentário Estamira (2004) dirigida pelo cineasta Marcos Prado, ganhou projeção nacional e internacional quando venceu a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, em 2005.

Outros Premios:

 Festival do Rio – 2004

 Prêmio de Melhor Documentário pelo Júri Oficial

 Mostra Internacional de Cinema em São Paulo – 2004

 Prêmio de Melhor Documentário pelo Júri Oficial

 Festival Internacional de Documentário de Marseille – 2005

 Grande Prêmio do FIDMarseille

Prêmio de «Groupement National des Cinémas de Recherche (GNCR)»

 Festival Internacional de Cinema de Karlovy Vary – 2005

 Prêmio de Melhor Documentário

 Festival Internacional de Cinema de Viena (Viennale) – 2005

 Prêmio de Melhor Filme Longa-Metragem pelo FIPRESCI

 Festival Internacional de Havanna – 2005

 Terceiro Prêmio Coral de Documentário

Prêmio de Melhor Documentário em Memória a Pablo de la Torriente Brau

 4º Festival Internacional de Direitos Humanos de Nuremberg – 2005

 Grande Prêmio de Cinema de Direitos Humanos de Nuremberg

 Festival Internacional de Cinema de Londres – 2005

Menção Honrosa

 Festival Internacional de Cinema de Miami – 2005

 Prêmio Especial do Júri

 18° Reencontro de Cinema Latino-americano de Toulouse – 2006

Prêmio SIGNIS de Melhor Documentário

 9º Festival Internacional Cine Las Americas, Texas – 2006

 Menção Especial do Júri

 FICA – Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental – 2005

 Prêmio de Melhor Filme Longa-Metragem

Prêmio de Melhor Filme pelo Voto da Imprensa

Prêmio de Melhor Filme pelo Voto Popular

2º Festival de Cinema de Belém do Pará – 2005

 Prêmio de Melhor Filme Longa-Metragem

Prêmio de Melhor Fotografia

 11º Cine Eco – Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental, Serra da Estrela, Portugal – 2005

 Prêmio de Melhor Filme

Menção Honrosa da Juventude

 Ekofilm – 31º Festival Internacional de Cinema Ambiental, República Tcheca – 2005

 Prêmio de Melhor Documentário

Prêmio de Melhor Direção de Arte

 I Festival do Cinema Brasileiro de Goiânia – 2005

 Prêmio de Melhor Documentário Longa-Metragem

 

 O cineasta e diretor,Marcos Prado, na época,em sua página no Facebook, escreveu sobre a morte da protagonista:

 «Caros amigos, é com tristeza no coração que vos trago a notícia que há poucas horas atrás, Dona Estamira partiu dessa para uma melhor. Para aqueles que a conheceram, pessoalmente ou nas telas de cinema, sugiro um pensamento de luz para ela seguir seu caminho espiritual. Saravá, como diria meu amigo Marco Aurêlio Marcondes».

 

Resgatar “Estamira” pode ser uma simples homenagem à nordestina Estamira Gomes de Sousa em sessão de gala.

«Feliz Natal»

 

 

Estamira TheEdifilo·

Publicado em 28/07/2012

NOTICIAS ANTICAPITALISTAS