Brasil. Lava Jato escondeu informações de Rosa Weber em 2016

Publicidad

Nova reportagem de Ricardo Balthazar, da Folha e Rafael Neves, do Intercept Brasil, mostra que os procuradores da Lava Jato esconderam informações importantes da ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal, (STF), durante as investigações contra o presidente Lula no início de 2016.

À época, o então juiz Sérgio Moro já havia autorizado a realização de busca e apreensão e a condução coercitiva de Lula. Só faltava definir uma data para a operação.

Rosa Weber havia sido sorteada em fevereiro daquele ano para examinar uma ação que a defesa de Lula protocolou para tentar suspender as investigações. Os integrantes da Lava Jato, entretanto, temiam que a ministra aceitasse os argumentos da defesa do presidente.

Segundo as mensagens do aplicativo Telegram obtidas pelo Intercept, os procuradores de Curitiba sabiam que Lula havia comentado com aliados, em telefonemas grampeados pela Polícia Federal, sobre a necessidade de abrir um diálogo com Weber. Entretanto, a Lava Jato decidiu não repassar tal informação à ministra – naquele momento crucial, ela ficou «no escuro», como disse a própria Fel-lha.

Ainda segundo a reportagem, «o grampo nos telefones do petista permitiu que os procuradores obtivessem informações sobre a movimentação dos seus advogados e se antecipassem a eles».

O ministro Teori Zavascki, então relator da Lava Jato no STF, repreendeu Moro por não ter comunicado ao tribunal as menções à ministra Rosa Weber. O ex-juiz, por sua vez, afirmou que não havia qualquer evidência de que Weber tenha sido, de fato, procurada por Lula ou seus aliados.

Leia a reportagem completa na Folha.

.

https://www.conversaafiada.com.br/brasil/lava-jato-escondeu-informacoes-de-rosa-weber-em-2016

 

También podría gustarte

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More