Brasil: Esperando Janot

Publicidad

 

Data vênia, os mais curiosos já se perguntam o que Rodrigo Janot está esperando para defenestrar Eduardo Cunha da vida nacional.

Digo defenestrar no bom sentido, não no sentido que lembra o desse impeachment artificial que a oposição está tentando, com a incompetência habitual, detonar contra a presidente.

Data vênia, o que falta para defenestrar Cunha se já há algum tempo segundo lemos nos jornais e revistas autoridades suíças enviaram para ele um vasto relatório que prova ter sido o presidente da Câmara dos Deputados dono de mais de 20 milhões de dólares que ele primeiro negou ter e depois justificou com a venda de carne enlatada para a África, fornecida, provavelmente pelos bois que o Renan alegou ter vendido para explicar que foi ele e não uma empreiteira quem pagou a jornalista Mônica Veloso depois da separação?

Acho normal que a imprensa seja mais rápida que a Justiça, data vênia, mas o que explica demorar tanto?

Ouvi dizer que primeiramente a papelada teria que ser traduzida. Pergunto, então: como é que a imprensa traduziu rapidinho? O tradutor do Janot é lento, data vênia? Está atarefado? Então que contrate outro tradutor.

Aquilo que se publicou não basta para caracterizar algum dos crimes previstos na legislação brasileira referente a movimentação financeira? O que se publicou não é suficiente para afastar o presidente da Câmara de suas funções? E tudo o que ele aprontou dentro da Câmara dos Deputados, e toda a sua participação na Lava Jato, isso não é suficiente?

Não pretendo passar por cima do ordenamento jurídico brasileiro, data vênia, mas me pergunto porque Janot senta em cima das provas da Suíça, que são demolidoras ao menos de acordo com o que lemos (ou então o que lemos não vale nada) enquanto o acusado que destila seu ódio todo dia na televisão continua no poder e no firme propósito de levar o país à lona.

E o país continua esperando Janot.

 

*Alex Solnik é jornalista. Já atuou em publicações como Jornal da Tarde, Istoé, Senhor, Careta, Interview e Manchete. É autor de treze livros, dentre os quais «Porque não deu certo», «O Cofre do Adhemar», «A guerra do apagão», «O domador de sonhos» e «Dragonfly» (lançamento janeiro 2016).

 

http://www.brasil247.com/pt/blog/alex_solnik/208325/Esperando-Janot.htm

 

También podría gustarte

Los comentarios están cerrados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More