Publicado en: 9 diciembre, 2018

Brasil-Escândalo. Coaf* apontou saques, transferências num dia!

Por Italo Nogueira

Policial militar Fabrício José Carlos de Queiroz, ex-motorista, ex-assessor do Flávio Bolsonaro movimentou 59 depósitos em dinheiro vivo. Vivíssimo. E, aí, Moro?

 

Italo Nogueira, na Fel-lha: 

Ex-assessor de filho de Bolsonaro chegou a fazer 5 saques em apenas 1 dia

O ex-motorista do senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) fez 176 saques de dinheiro em espécie de sua conta em 2016. A movimentação dá uma média de uma retirada a cada dois dias.

 *Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) apontou uma movimentação financeira atípica de R$ 1,2 milhão do ex-assessor parlamentar e policial militar Fabrício José Carlos de Queiroz naquele ano. Esse valor inclui tanto saques como transferências, créditos em suas contas, entre outras operações.

Cerca de um quarto do valor suspeito (R$ 324,8 mil) foi movimentado por meio de saques. Foram retiradas que variavam de R$ 100 a R$ 14.000.

No dia 10 de agosto de 2016, por exemplo, Queiroz fez cinco retiradas que, somadas, dão R$ 18.450. Todos os saques foram em valores abaixo de R$ 10 mil, a partir do qual o Coaf alerta automaticamente as autoridades fiscais.

Houve ainda 59 depósitos em dinheiro vivo na conta do policial militar. As entradas variam de R$ 400 a R$ 12.700.

Procuradores afirmam que o uso de dinheiro vivo em transações bancárias costuma ter como objetivo ocultar o destinatário ou remetente dos recursos. A prática dificulta a identificação dos responsáveis pelas transações.

As informações fazem parte do relatório do Coaf da Operação Furna da Onça, que prendeu dez deputados estaduais do Rio de Janeiro. O Ministério Público Federal solicitou ao órgão de controle financeiro os casos de movimentação atípica envolvendo funcionários da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro).

Os dados sobre o policial militar chamaram a atenção por, entre outros motivos, registrar “movimentações em espécie realizadas por clientes cujas atividades possuam como característica a utilização de outros instrumentos de transferência de recursos”.

Queiroz também apresentou, para o Coaf, “movimentação de recursos incompatível com o patrimônio, a atividade econômica ou a ocupação profissional e a capacidade financeira”. De acordo com o órgão financeiro, ele tinha uma renda de R$ 23 mil mensais e um patrimônio de cerca de R$ 700 mil. (…)

Em tempo: o Coaf estará sob o mega-super guarda-chuva do Presidente da Justiça, o Judge Murrow. É provável, portanto, que o assessor do bolsoninho se beneficie da jurisprudência “não vem ao caso”, ratificada em múltiplas decisões do Supreminho. – PHA

Fotoarte: “Queiroz pescador,motorista, assessor, etc”

.

https://www1.folha.uol.com.br/poder/2018/12/ex-assessor-de-filho-de-bolsonaro-chegou-a-fazer-5-saques-em-apenas-1-dia.shtml

 

COLABORA CON KAOS