Brasil. Entre Vistas. Juliano Medeiros [Vídeo]

Lula é craque, mas não é técnico da oposição

Publicidad

 

Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Em entrevista ao programa Entre Vistas, de Juca Kfouri, na TVT, o presidente nacional do PSOL, Juliano Medeiros, usa a metáfora do futebol ao falar sobre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva: «Lula é um craque que volta para o time da oposição, mas ele não é o técnico da oposição», conta o BR Político.

Dentre as divergências da esquerda, Medeiros destacou o entendimento do PSOL de que não é possível encontrar aliados na centro-direita contra a atual crise política. «Nós, do PSOL, não acreditamos nisso (diálogo). Por isso, vamos brigar mais com o (Rodrigo) Maia que os outros partidos da oposição», diz. Ainda que haja proximidade do partido com nomes da centro-direita, como o ex-senador Roberto Requião (MDB), Medeiros reforça que é impossível haver uma aliança partidária com os partidos desse espectro. «Não é puritanismo não, mas o PSOL logrou alcançar um certo patrimônio de coerência», defende.

Em outro trecho, conta a Rede Brasil Atual, questionado sobre uma suposta responsabilidade da esquerda na ascensão do radicalismo de direita, Juliano discorda. «A culpa é das elites. As elites fizeram uma opção por depor uma presidenta legitimamente eleita para emplacar um programa econômico muito nocivo que criou uma dinâmica recessiva, que jogou milhões de brasileiros e brasileiras no desemprego e na informalidade. A responsabilidade pelas crises política, econômica e social que vivemos no país é das elites brasileiras. Na América Latina como um todo», afirmou.

O presidente do PSOL não se exime de pensar de forma crítica o papel da esquerda. «Há de se pensar o que foi a experiência da esquerda, da centro-esquerda no governo», afirma, lembrando opções dos governos petistas para o comando de ministérios como os da Agricultura e da Fazenda, que considera contraditórias. «Acharam que poderiam ter um latifundiário no governo, um banqueiro na economia. E, quando fosse necessário, contrariar o sistema», criticou.

 


 ‘Culpa das crises no Brasil é das elites’

RBA

«As elites fizeram uma opção por depor uma presidenta legitimamente eleita e por emplacar um programa econômico muito nocivo»

 O presidente do Psol, Juliano Medeiros, é o convidado do jornalista Juca Kfouri no programa Entre Vistas, da TVT. No comando da legenda desde 2017, o historiador de 36 anos conta que começou a carreira política no movimento estudantil, antes de ingressar no partido. “Cumpri dois mandatos na UNE no Rio Grande do Sul. Saí há 10 anos para trabalhar com a bancada do Psol em Brasília. Trabalhei na liderança do Psol, então.”

Questionado sobre uma suposta responsabilidade da esquerda na ascensão do radicalismo de direita, Juliano discorda.

“A culpa é das elites. As elites fizeram uma opção por depor uma presidenta legitimamente eleita para emplacar um programa econômico muito nocivo que criou uma dinâmica recessiva, que jogou milhões de brasileiros e brasileiras no desemprego e na informalidade. A responsabilidade pelas crises política, econômica e social que vivemos no país é das elites brasileiras. Na América Latina como um todo”, afirmou.

O presidente do Psol não se exime de pensar de forma crítica o papel da esquerda. “Há de se pensar o que foi a experiência da esquerda, da centro-esquerda no governo”, afirma, lembrando opções dos governos petistas para o comando de ministérios como os da Agricultura e da Fazenda, que considera contraditórias. “Acharam que poderiam ter um latifundiário no governo, um banqueiro na economia. E, quando fosse necessário, contrariar o sistema”, criticou.

.

‘Culpa das crises no Brasil é das elites’, afirma Juliano Medeiros, presidente do Psol


 

Vídeo: Presidente do PSOL Juliano Medeiros no Entre Vistas

 

Fotoarte: Juliano Medeiros

También podría gustarte

Los comentarios están cerrados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More