Brasil-Eleições-Exército não deve tratar de eleições

Publicidad

«O comandante do Exército afirmou que o atentado contra Jair Bolsonaro pode levar o futuro governo a ter dificuldade em garantir estabilidade e governabilidade, ‘podendo até mesmo ter sua legitimidade questionada’, em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo», reforça o jornalista Leonardo Sakamoto.

«Mesmo que ele, ao longo da entrevista, tenha confirmado que as Forças Armadas continuarão a desempenhar seu papel democrático, independentemente do resultado das eleições, a conjectura em sua declaração apenas lança mais combustível no contexto incendiado em que estamos», continua.

 «A declaração do general não é uma sentença do que acontecerá, mas ajuda na formação do entendimento de que se o resultado das eleições não for o que alguns grupos esperam, elas poderão ser questionadas. Isso em nada contribui para a ‘necessidade de pacificação do país’, que ele afirma ser sua preocupação», complementa.

Segundo o jornalista, «o general deveria ter mais cuidado com o que fala». «Até porque, na prática, suas palavras causam mais impacto em nosso futuro de curto prazo do que as do presidente».

Leia a íntegra no Blog do Sakamoto

PS do colaborador:

Fotoarte: «o general e eu»

También podría gustarte

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More