Brasil e a costureira do STF

 

Costurando a fantasia do parlamentarismo para vestir o golpe de estado

Retirar Michel Temer do cenário com tudo que ele representa, mas sem o longo e pedregoso caminho do impeachment às vésperas das eleições.

Essa parece ser a saída encontrada para o impasse nacional provocado pela paralisação dos caminhoneiros, petroleiros e outras categorias que aderem ao movimento.

As mesmas máquinas do judiciário, do Congresso Nacional e da mídia, que costuraram o golpe de estado para derrubar a presidenta Dilma tecem agora a fantasia do parlamentarismo.

Querem vestir o golpe de estado com uma roupa nova para o desfile em outra eleição. Por mais que tenham ensaiado candidatos, até debutantes na política, não conseguiram aprontar nenhum que defendesse o que fizeram com o Brasil. A retumbante paralisação dos caminhoneiros arrancou as últimas máscaras do governo e o «Fora Temer!» ecoou de todos os cantos do país.

Não conseguiram realizar o sonho de um candidato neoliberal puro sangue, que pudesse inocular no país todo o ódio que sentem pelo Estado como indutor do desenvolvimento sustentável e o amor às privatizações, com a ajuda dos pierrôs e colombinas do Movimento Brasil Livre, Vem pra Rua, Revoltados Online, Instituto Millenium, Wilson Center, Atlas Network e outras escolinhas do capitalismo selvagem.

A costureira Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal, junto com o costureiro Luiz Fux, do Tribunal Superior Eleitoral, mais o menino do Rio, Rodrigo Maia, que faz baínha, arremata e prega botões, correm contra o tempo, pois as eleições vêm aí e os banqueiros e gerentes das grandes corporações multinacionais não querem saber dessa festa eleitoral com o ex-presidente Lula disparado nas pesquisas.

 

Fotoarte: «A costureita e o estilista»

.

https://www.brasil247.com/pt/colunistas/laurezcerqueira/356735/Costurando-a-fantasia-do-parlamentarismo-para-vestir-o-golpe-de-estado.htm

NOTICIAS ANTICAPITALISTAS