Publicado en: 24 marzo, 2019

Brasil. Dia Nacional de Luta em Defesa da Previdência

Por Osmar Gomes

Avenida Paulista, São Paulo, para protestar contra a reforma da Previdência do governo de Jair Bolsonaro (PSL).CUT botou 70 mil na rua pela greve geral.

 

Rumo à greve geral, mais de 70 mil pessoas ocupam Av. Paulista neste 22 de março

Do portal da CUT


Mais de 70 mil trabalhadores e trabalhadoras compareceram na tarde da sexta-feira (22), Dia Nacional de Luta em Defesa da Previdência, na Avenida Paulista, em São Paulo, para protestar contra a reforma da Previdência do governo de Jair Bolsonaro (PSL), que retira direitos, diminui os valores dos benefícios, aumenta o tempo de contribuição e impõe a obrigatoriedade de idade mínima de 65 anos para homens e 62 anos para as mulheres terem direito à aposentadoria.

É o esquenta para a greve geral que a CUT e demais centrais sindicais vão organizar se o governo insistir em manter a tramitação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC 006/2019) que praticamente acaba com o direito à aposentadoria no Brasil.

(…) A adesão massiva dos trabalhadores, trabalhadoras e da sociedade brasileira aos atos realizados em todo o Brasil foi comemorada pelo presidente da CUT, Vagner Freitas. (…) “O povo sabe que Bolsonaro quer acabar com a aposentadoria e entregar a Previdência Pública para os bancos”, afirmou Vagner. “Hoje é um esquenta. Vamos fazer outros atos rumo à greve geral”. (…)

 

Foto:Avenida Paulista lotada contra a capitalização da previdênssia (Créditos: Kessis Soares/Mídia Ninja)

Foto: Roberto Parizotti/CUT

COLABORA CON KAOS