Brasil-Debate. Fórum Popular da Natureza [Vídeo]

Publicidad

 Atividades do Fórum Popular da Natureza ocorrem de 1 a 10 de junho, em plataformas online – Greenpeace

Um renomado economista equatoriano. Uma líder comunitária. Uma ícone feminista da América Latina e dois pesos pesados dos movimentos populares do Brasil. O que levaria pessoas tão ímpares a se reunirem (ainda que virtualmente) durante um dos debates propostos pelo Fórum Popular da Natureza?

 Muitas coisas, como se pôde constatar no encontro transmitido ao vivo na manhã da última sexta-feira (5).

Sobre o Fórum Popular da Natureza

O evento, que acontece até o dia 10 de junho, tem como objetivo, antes de tudo, proporcionar o diálogo entre lideranças de áreas aparentemente distintas.

Na manhã da sexta, o debate foi entre Alberto Acosta, economista e ex-ministro equatoriano (que antes da gestão de Rafael Correa, mudou de lado e tornou-se adversário); Débora Rodrigues, líder comunitária e membro da direção da Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais (ABONG); e a boliviana Julieta Paredes, feminista comunitária, cantora e escritora.

 Na intermediação do encontro, Gilmar Mauro, da coordenação nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), e Carmen Silva, referência no país quando se trata da luta por moradia.

Entre os temas abordados, parte do eixo economia e natureza, passaram pela importância dos movimentos populares na luta contra as incursões conservadoras de Jair Bolsonaro, racismo estrutural e as novas conjunturas políticas que assolam, em especial, a América Latina. Como pano de fundo, os efeitos da pandemia do coronavírus.

Alberto Acosta salientou a responsabilidade do capitalismo  no agravamento da crise atual. “Esta realidade de destruição do planeta é o resultado de uma lógica de acumulação permanente, de acumulação de bens materiais. Consumismo, produtivismo e individualismo, que explica porque tanta gente está sendo vítima do coronavírus. O individualismo é a verdadeira enfermidade do mundo”, pontuou.

Julieta Paredes complementou ao reafirmar que a pandemia é também resultado do descaso humano com o meio ambiente. “Este tempo é um tempo em que os corações e a vida nos levantam para o ressurgimento das utopias. Somente com a permissão da ‘Mãe Natureza’ conseguiremos superar este momento tão difícil que estamos passando”.

Para Gilmar Mauro, o capital financeiro também tem papel decisivo na destruição do planeta. “Não tem como propor qualquer luta sem romper com essa lógica ditada pelo capital financeiro. Isso só faz aumentar o papel da reforma agrária que altere todo o modelo de produção, ligado à alimentação e à ecologia”.

Racismo x solidariedade

Débora levou o debate para o tema do racismo estrutural, que mata a população negra diariamente. Ela citou a morte do menino Miguel (que caiu de um prédio por negligência de uma mulher rica e branca) – e criticou posturas «desprezíveis» como a do presidente da República. “O governo brasileiro amplia os impactos das políticas neoliberais, retira direitos que lutamos tantos para conquistar e agora teremos que nos ressignificar para nos reerguermos”.

Especialista em economia solidária, Débora também reforça o papel das mulheres negras no combate à pandemia. “Sem estas mulheres tão fortes, que lutam para manter as suas comunidades, os efeitos dos desmontes promovidos por Bolsonaro seriam ainda maiores”.

Carmen, que coordena o Movimento dos Sem Teto do Centro, em São Paulo, e tem feito o papel do estado ao promover auxílio a milhares de famílias da capital durante a pandemia, acredita que a luta contra os retrocessos passa necessariamente pelo movimentos populares. “Todas as vezes que tem uma mazela, são sempre os movimentos populares que se organizam e se mobilizam para conseguir ajudar quem mais precisa”, finalizou.

Edição: Vivian Fernandes

Pode interessar:

1-:: Empresas alemãs usam Brasil como “depósito” de agrotóxicos proibidos na Europa ::

2-:: Degradação ambiental é tema do Fórum Popular da Natureza com início nesta segunda ::

3-:: Cientistas debatem a relação entre o capitalismo, a crise ambiental e a pandemia ::

Fotoarte do colaborador: “Gilmar no FPN”

Vídeo: Gilmar Mauro, do MST, conclama a todos para construirmos o Fórum Popular da Natureza

.

https://www.brasildefato.com.br/2020/06/06/de-retorno-de-utopias-a-combate-ao-capital-ativistas-populares-debatem-meio-ambiente

 

También podría gustarte

Los comentarios están cerrados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More