Brasil-Covid19. Registro: 111 mortes e 3.904 casos confirmados

Publicidad

«Alguns vão morrer, lamento, é a vida» lamentou o presidente Jair Bolsonaro.

Ministério da Saúde  busca mais 200 milhões de máscaras! O que o Ministério da Saúde tem feito para tentar resolver o problema?

Entre a desorientação do governo federal e a tutela a um presidente perturbado, o Brasil chega a 111 mortes pela pandemia de coronavírus. Já são 3.904 casos confirmados no país.

Ricardo Perrone – 247

O número de óbitos pelo coronavírus no Brasil subiu para 111 neste sábado (28), segundo dados atualizados do Ministério da Saúde. A marca de casos é de 3.904 confirmados, sendo que a mortalidade da doença é de 2,8% no país.

A reportagem do jornal Folha de S. Paulo informa que «o número de registros representa um salto de 17% com relação à quinta-feira, quando eram 3.417 casos. No mundo, são 30 mil mortes. São Paulo é o estado com maior número de infectados, com 1.406 pessoas infectadas, contra 1.223 da sexta. O Rio de Janeiro aparece na sequência, com 558.»

A matéria ainda acrescenta que «só em São Paulo morreram 84 pessoas; outras 13 morreram no Rio de Janeiro. ​ Houve registro ainda de mortes no Amazonas (1), Ceará (1), Pernambuco (5), Piauí (1), Goiás (1), Paraná (2), Rio Grande do Sul (2) e Santa Catarina (1). A primeira morte no Piauí pela doença foi confirmada na manhã deste sábado pela Secretaria de Saúde local. O prefeito de São José do Divino, Antônio Nonato Lima Gomes, morreu na madrugada de sexta-feira (27) vítima do Covid-19. Com isso, já são sete mortos no Nordeste.»

.

https://www.brasil247.com/coronavirus/coronavirus-no-brasil-111-mortes-e-3-904-casos-confirmados

 

********

E os 200 milhões de máscaras…

Perrone 

28/03/2020

Um dos principais gargalos no combate ao avanço do novo coronavírus no Brasil é a disponibilidade de máscaras descartáveis de proteção para profissionais da área da saúde e de pacientes.

O que o Ministério da Saúde tem feito para tentar resolver o problema?

O blog enviou essa pergunta para a pasta. A resposta é recheada de números estratosféricos. Foi realizado processo de compra de 45 milhões de máscaras cirúrgicas, sendo que 10 milhões delas já foram distribuídas, segundo a nota da área de comunicação.

Também de acordo com a assessoria de imprensa do ministério, novo processo de compra foi iniciado para a aquisição de mais 200 milhões de máscaras cirúrgicas.

A pasta informa prever um investimento de R$ 140 milhões para reforçar os estoques estaduais e municipais de EPI (Equipamentos de Proteção Individual) usados por profissionais da saúde.

Entidades das classe médica e de enfermagem relatam situações dramáticas por conta da falta desses equipamentos. Profissionais têm sido contaminados por causa dessa carência.

Médicos que examinam pacientes com suspeita de contaminação ou contaminados pelo vírus são orientados a descartar os equipamentos após cada exame. O kit de proteção tem outras peças, como luvas, gorro, óculos e avental.

Devido à pandemia, as compras estão sendo feitas em regime de dispensa de licitação. Os contratos ficam disponíveis no site do Ministério da Saúde.

Como exemplo de custo das máscaras, a pasta se comprometeu a pagar R$ 2.400.000 para a empresa Farma Supply pela aquisição de 1.500.000 máscaras cirúrgicas. O custo de cada uma é de R$ 1,60.

 Abaixo, leia a nota enviada pela comunicação do Ministério da Saúde na íntegra.

«O Ministério da Saúde informa que realizou processo de compra de 45 milhões de máscaras cirúrgicas, das quais já foram distribuídas 10 milhões para todo o país. Desse total, além do envio das unidades destinadas ao uso de profissionais da linha de frente no atendimento da rede pública e pacientes nos estados, 940 mil máscaras foram para Polícia Federal, 349 mil para hospitais federais e 120 mil para a administração penitenciária. Novo processo de compra já foi iniciado para  aquisição de mais 200 milhões de máscaras cirúrgicas.

Cabe ressaltar que a demanda mundial de máscaras por conta da pandemia de coronavírus tem feito com que o Brasil busque alternativas para abastecimento desse insumo. A pasta comprou toda a produção nacional e aguarda a chegada de insumos vindos da China.

As máscaras cirúrgicas são parte dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI) que estão sendo adquiridos pelo Ministério da Saúde para reforçar os estoques de estados e municípios no enfrentamento do COVID-19. A previsão inicial da pasta para garantir esse reforço é de R$ 140 milhões.

Para saber mais sobre os contratos assinados pelo Ministério da Saúde relacionados ao COVID-19 acesse: https://www.saude.gov.br/contratos-coronavirus «.

 

 * Ricardo Perrone é formado em jornalismo pela PUC-SP, em 1991, cobriu como enviado quatro Copas do Mundo, entre 2006 e 2018. Iniciou a carreira nas redações dos jornais Gazeta de Pinheiros e A Gazeta Esportiva, além de atuar como repórter esportivo da Rádio ABC, de Santo André.

 De 1993 a 1997, foi repórter da Folha Ribeirão, de onde saiu para trabalhar na editoria de esporte do jornal Notícias Populares. Em 2000, transferiu-se para a Folha de S.Paulo. Foi repórter da editoria de esporte e editor da coluna Painel FC. Entre maio de 2009 e agosto de 2010 foi um dos editores da Revista Placar.

.

https://blogdoperrone.blogosfera.uol.com.br/2020/03/covid-19-contra-crise-ministerio-busca-mais-200-milhoes-de-mascaras/


PS do Colaborador:

Fotoarte: «Alguns vão morrer, lamento, é a vida»

 

También podría gustarte

Los comentarios están cerrados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More