Brasil. Bolsonaro é uma pornochanchada

Publicidad

Bolsonaro tenta desmoralizar o carnaval  2019

Rede Brasil Atual – Miguel do Rosário

 Mas a forma como os foliões o homenagearam nos blocos de rua deixou o chefe do Executivo sem rumo. Xingamentos, vaias e fantasias de laranjas em blocos de rua por todo o país, latas e pedras atiradas contra seu boneco em Olinda (PE), redes sociais tomadas por postagens ironizando e esculachando os dois primeiros meses de sua gestão, entre outras manifestações, deram o tom dos quatro dias da maior festa popular do Brasil. Irritado, Bolsonaro postou um vídeo obsceno de dois homens em um bloco de rua em São Paulo, dizendo que a cena seria comum em «blocos de rua no carnaval brasileiro».

Mas a tentativa de desmoralizar e criminalizar genericamente o carnaval – e os blocos de rua em particular –, teve resultado pior que as vaias e xingamentos. Bolsonaro foi amplamente criticado – e novamente xingado – por milhares de pessoas, incluindo jornalistas brasileiros, correspondentes internacionais, advogados, professores e parlamentares. Tom Phillips, correspondente do jornal britânico The Guardian, postou:  

«Alô, alô, Brasil. Alguém retire o telefone dele, rápido». Hashtags como #ImpeachmentBolsonaro, #EiBolsonaroiVaiTomarNoCu, #VergonhaDessePresidente e #goldenshowerpresident dominaram as redes sociais.

«O que Bolsonaro não gostou é que a obscenidade do seu governo foi revelada nas ruas do Brasil. Então precisou encontrar uma outra para encobrir a sua», comentou em rede social a jornalista e escritora Eliane Brum. «Os brasileiros que fizeram a potência do Carnaval de 2019 sabem onde está a obscenidade real», acrescentou.

A jornalista da Rede Globo Mônica Waldvogel foi das que mais duramente criticaram Bolsonaro, dizendo que lhe falta inteligência, senso de oportunidade e decoro. E o presidente, como um adolescente birrento, foi tirar satisfação. «E pra vocês. Falta o que? (sic)», postou na sequência.  

«Obrigado Sr presidente por ajudar a mostrar ao povo como você é realmente um idiota», completou o jornalista da ESPN João Castelo-Banco.

«Tá putinho com o carnaval porque o que mais se ouviu por todo país foi #EiBolsonaroiVaiTomarNoCu… e com isso tenta pegar um fato isolado pra tentar desmoralizar uma festa popular», escreveu um internauta, em seguida.

Parte dos apoiadores e contas robôs (bots) de Bolsonaro tentou reagir manifestando apoio ao presidente, mas as críticas tiveram alcance mundial. «Você é patético. Há um Brasil inteiro nas ruas contra você. Este Carnaval mostrou isso. Seu esforço para diminuir sua rejeição é inútil. Somos resistência», sintetizou o senador Humberto Costa (PT-PE).

«Não podemos descartar a possibilidade de solicitar um teste de sanidade mental. O país pode estar nas mãos de uma quadrilha, além de envolvida com corrupção e milícias, chefiada por um psicopata que nos levará ao caos. A conta dele deve ser banida imediatamente pelo Twitter», escreveu o deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS).

O também jornalista Fábio Pannunzio, da TV Bandeirantes, disse que Bolsonaro precisa se tratar. «Bolsonaro, a minha neta de seis anos tomou conhecimento dessa cena no seu twitter. Ela e outros milhões de crianças cujos pais o seguem. Quero ver como o Presidente da República vai explicar o que elas viram. Você precisa de tratamento médico com urgência», escreveu.

Mesmo apoiadores do presidente acharam a postagem absurda: «É uma palhaçada mesmo mais (sic) isso não representa o carnaval. Fui em alguns blocos e não tinha nada disso. É vergonhoso presidente. Votei no senhor mais (sic) foi desnecessário publicar essa porcaria», escreveu uma seguidora. «Mano na moral onde que eu tava com a cabeça quando pensei em votar em ti seu demente», completou outro.

A ira de Bolsonaro contra os blocos foi reação à chuva de vaias e xingamentos que o presidente recebeu desde o início dos desfiles de blocos de rua e que se estendeu por onde houvesse carnaval em todo o país. Há vídeos com foliões cantando contra o presidente em várias cidades circulando nas redes.

Em Olinda, onde bonecos gigantes são tradição nos desfiles de rua, os dele e da primeira-dama, Michele Bolsonaro, foram vaiados e apedrejados por onde passaram. Em Brasília, o bloco Divinas Tetas surpreendeu até a cobertura da GloboNews com um sonoro «Ei Bolsonaro, vai tomar no cu», que acabou transmitido nacionalmente.

Em São Paulo, fantasias de candidatos-laranja, fake news, WhatsApp, Queiroz (em referência a Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro que é ligado a milícias) e caixa 2 foram comuns. O Bloco 77 Originais do Punk fez uma paródia da música Coração Corintiano, de Manoel Ferreira: «Doutor, eu não me engano, o Bolsonaro é miliciano», em referência ao escândalo com Queiroz.

Em Salvador, os foliões do Bloco BaianaSystem, e em Belo Horizonte, o Ladeira Abaixo, entoaram um «Bolsonaro é o caralho». No Bloco Então, Brilha, que levou 400 mil pessoas às ruas da capital mineira, também foram ouvidos cantos de «Ei Bolsonaro, vai tomar no cu». Na região da Pampulha, o bloco Tchanzinho Zona Norte quase foi proibido de desfilar pela Polícia Militar, após manifestar repúdio contra Bolsonaro.

.

https://www.redebrasilatual.com.br/politica/2019/03/xingado-e-vaiado-em-todo-o-pais-bolsonaro-tenta-desmoralizar-blocos-de-carnaval

*******

Governo Bolsonaro é uma pornochanchada

Bolsonaro divulgou um vídeo dizendo que cenas como aquelas tem se tornando comuns em muitos blocos de carnaval – o que é, obviamente, uma mentira.

 

 Miguel do Rosário


No boletim Focus
divulgado hoje, a estimativa do mercado para o PIB de 2019 caiu para 2,3%. Economistas experientes, contudo, sabem que esses números são otimistas demais, e que se crescermos um pouco mais de 1% já será muito.

A OCDE reduziu sua estimativa de crescimento do PIB brasileiro este ano para 1,9%.

O tal mercado, entidade que significa, em verdade, a opinião de meia dúzia de operadores da bolsa e diretores de banco, tornou-se, no Brasil, mais um centro de difusão de irracionalidade.

O maior centro de irracionalidade, no entanto, vem do próprio presidente da república, que chocou a opinião pública brasileira (e mundial, visto que grandes jornais, como Washington Post e New York Times, já estão fazendo matérias muito críticas) ao compartilhar, no Twitter, um vídeo com cenas pornográficas, de um homem mexendo no próprio ânus, e um outro puxando o pênis para fora da calça e urinando sobre a cabeça do primeiro (golden shower). Bolsonaro divulgou o vídeo dizendo que cenas como essa tem se tornando comuns em muitos blocos de carnaval – o que é, obviamente, uma mentira.

O Carnaval brasileiro é uma das mais belas festas do mundo. Um orgulho nacional. Milhões de pessoas saem às ruas para festejar a vida, de maneira pacífica, lúdica e descontraída. Pinçar uma cena excêntrica e mostrá-la em rede nacional, a seus milhões de seguidores, ao mundo inteiro, como um exemplo do nosso Carnaval, é jogar contra o Brasil, contra o povo brasileiro, contra a nossa cultura.

Muitos estados brasileiros tiveram a sua economia destruída pela corrupção, primeiro, e depois por um combate à corrupção sem cuidado com a preservação de negócios e empregos. O desemprego no país é o maior em muitos anos. E só não é maior porque as pessoas estão optando por trabalhos informais e por conta própria. Apenas nos últimos três meses, segundo o IBGE, foram destruídos quase 600 mil postos de trabalho.

Há pessoas desesperadas. Famílias passando necessidades.

O Carnaval é, por isso mesmo, oportunidade para milhares de famílias de baixa renda ganharem algum dinheiro, pelo comércio de alimentos e bebidas principalmente, se sustentarem ao longo dos próximos meses. A cidade recebe muitos turistas, que vem aqui justamente curtir a maravilhosa festa da cidade, com seus milhares de blocos dos mais variados temas. Muitas empresas do setor hoteleiro, ou ligadas ao turismo, saem do vermelho e conseguem um faturamento razoável durante essa época.

Além da oportunidade econômica, o Carnaval é também uma opção de lazer e cultura, a baixo custo, para milhões de brasileiros.

Nada explica, portanto, a manifestação bizarra, preconceituosa, do presidente Bolsonaro, contra uma grande festa cultural do povo de seu país.

No portal da presidência da república, por sua vez, não vemos nenhuma mensagem de conforto do presidente às milhões de famílias brasileiras que vivem a tragédia do desemprego e da falta de alimentos.

Não, a capa do portal é sobre a… Venezuela.

 

No blog Cafezinho

Fotoarte do Bessinha

También podría gustarte

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More