Brasil. Aloysio (pitbull) Nunes para o Itamaraty!

Publicidad

Após uma gestão medíocre liderada por José Serra no Ministério das Relações Exteriores, Michel Temer anunciou nesta quinta-feira 2 o nome do senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) para o cargo.

Serra deixou o ministério da semana passada alegando motivos de saúde. Durante sua permanência no comando da pasta, ele brigou com países vizinhos e não conseguiu fazer com que o Brasil tivesse nem o respeito dos Estados Unidos.

 (relembre aqui).

Já Aloysio, delatado pelas empreiteiras na Lava Jato, viajou aos Estados Unidos antes do golpe para pedir apoio à deposição da presidente eleita Dilma Rousseff. O anúncio de Temer foi feito após uma reunião de Aloysio com Temer nesta tarde no Palácio do Planalto.

O senador será mais um na lista de investigados que forma o governo Temer. Ele é alvo de um inquérito no Supremo Tribunal Federal, aberto por determinação do ministro Celso de Mello em setembro passado, por possível crime eleitoral de falsidade ideológica e lavagem de dinheiro.

A investigação tem como base a delação premiada do empreiteiro Ricardo Pessoa, da UTC, que disse que Aloysio teria recebido R$ 300 mil de forma oficial e R$ 200 mil em dinheiro via caixa dois para sua campanha ao Senado em 2010. As doações, oficiais ou não, eram pagamentos de propina para obtenção de contratos com a Petrobras, afirmou Pessoa.

Confira o pronunciamento feito para anunciar o nome de Aloysio:

O presidente da República indicou, na tarde de hoje, o Senador Aloysio Nunes Ferreira, de São Paulo, para assumir o Ministério das Relações Exteriores.

Homem público de larga experiência política, seja no Legislativo, seja no Executivo, o Senador Aloysio Nunes Ferreira tem uma longa trajetória de engajamento nas causas da diplomacia brasileira e na agenda internacional do Brasil.

Seu período como Presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado Federal é exemplo claro do elevado valor e das importantes contribuições que o Senador Aloysio Nunes Ferreira traz para a promoção e a defesa dos interesses de nossa política externa.

Ao desejar-lhe êxito em sua missão, o Presidente Michel Temer reitera a confiança que já lhe manifestou hoje pessoalmente em sua ampla capacidade de chefiar o Itamaraty.

***********

Um brucutu na diplomacia

Jornalista Fernando Brito analisa  Aloysio Nunes

«É grosseiro, mal-educado, babugento com os que não lhe repetem as bobagens. É a antítese do que pede a diplomacia, que jamais separa a firmeza da urbanidade, o enfrentamento da fidalguia na palavras e atos, a afirmação dos interesses nacionais do reconhecimento do direito de todos os povos»

 Fernando Brito

José Serra já era uma triste figura à frente da diplomacia brasileira, personagem de um plano de aproximação com os Estados Unidos e com a Europa que deu chabu, respectivamente, com a eleição  de Donald Trump e com a crise na União Europeia.

Mas o bronco Aloysio Nunes Ferreira assumir o Ministério das Relações Exteriores só não é mais apavorante do que a cátedra de Alexandre de Moraes no Supremo porque não durará, como aquela, um quarto de século.

É verdade que Nunes, embora com valores menores, é tão citado na Lava Jato quanto seu antecessor.

E se iguala naquela asquerosa categoria dos que foram esquerdistas e, maduros, entregaram-se de corpo e alma ao antigo inimigo.

Sabujos, bajuladores, incondicionais do capital estrangeiro viram “capitães do mato” contra seu próprio povo, como fizeram alguns negros na escravatura.

Ambos só veem destino para este imenso país como sendo o da submissão e o da modernização excludente, onde ilhas de prosperidade fruem de padrões globais de consumo e multidões fiquem eternamente à margem.

Mas Aloysio consegue, ante Serra, ter uma desvantagem extra.

É grosseiro, mal-educado, babugento com os que não lhe repetem as bobagens.

É a antítese do que pede a diplomacia, que jamais separa a firmeza da urbanidade, o enfrentamento da fidalguia na palavras e atos, a afirmação dos interesses nacionais do reconhecimento do direito de todos os povos.

É um brucutu diplomático com os nossos povos amigos e um cordeiro com os lobos que devoram o mundo.

Para quem, há poucos anos, tinha Celso Amorim como chanceler, Aloysio Nunes Ferreira é voltar ao Paleozóico.

Do Tijolaço

PS do colaborador:

Fotoarte: “pitbull”

 

También podría gustarte

Los comentarios están cerrados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More