Publicado en: 19 octubre, 2015

Brasil: A renúncia, o boato e a psicopatia jornalística

Por Portal Forum

Há um tipo de psicopatia informativa que cada vez mais vem ganhando força e fazendo escola. A informação não só não tem lógica. Não tem fonte. Mas o que importa?

Cláudio Humberto: a renúncia, o boato e a psicopatia jornalística

Na esfera pública das redes, pessoas que se achavam importantes no mundo jornalístico passaram a ter sua estatura real. Aparecem como são nos espelhos digitais da audiência: baixas.

Para não sumirem, fazem malabarismos. Xingam Dilma e Lula. Falam do Foro de São Paulo, como se ele tivesse a importância de uma Internacional Socialista, e mandam seus adversários intelectuais para Cuba.

Mas há também os que enveredam pelo circuito da disseminação de boatos e informações que não fazem o menor sentido, mas que viralizam porque há muitos idiotas que acreditam em qualquer coisa.

Um desses é o ex-porta voz do presidente Fernando Collor, o jornalista do bateu levou, Cláudio Humberto.

O ex-porta voz mitou. Chegou ao limite da insensatez. Publicou uma nota afirmando que Dilma já escreveu sua carta de renuncia e que foi acompanhada na feitura pelos ministros Aloizio Mercadante e José Eduardo Cardozo, o que, segundo ele, é algo incomum.

A informação não só não tem lógica. Não tem fonte. Mas o que importa?

No circuito da boataria e do jogo sujo ela faz sentido. E é pra esses que Cláudio Humberto sempre escreve.

Há um tipo de psicopatia informativa que cada vez mais vem ganhando força e fazendo escola.

Isso precisa ser combatido. E aqueles que forem atingidos tem que fazer como Romário. Ir pra cima e exigir reparação. Este é um dos casos que deveria ser tratado como exemplar.

Se esse tipo de coisa não for tratada de forma responsável e dura pelos atingidos, esse tipo de leviandade perde o limite.

 

Fotoarte: “Vomitando Cláudio Humberto”

-->
COLABORA CON KAOS