Brasil. A Globo e Cunha. O que o PT nunca entendeu. São uns ingratos!

Publicidad

Essa página dupla central da edição impressa do Globo, com a galeria de notáveis colonistas.

Só faltou o Marechal do Colonismo, o dos chapéus, esse historialista, que passa açúcar em Golpe – o de 1964 e o 2016.

E o jornal nacional:
Após 2 meses de afastamento, Cunha renuncia à presidência da Câmara.

A Globo, agora, depois da queda, tripudiou sobre o cadáver de Cunha.

Tem até um editorial velhaco: «Deputados têm o dever de recuperar a confiança do eleitor».
«Nova diretoria da Câmara precisa ter biografia inquestionável»…
«A ingratidão é a inveja merecedora de todo o ódio».
(Padre Antonio Vieira, «Índice das coisas mais notaveis», organizado por Alcir Pécora, Editora Hedra, Sao Paulo, 2010)

«Adular é querer mal», do mesmo autor.

A Globo adulou, bajulou, purificou o Cunha.

Quando ele boicotou a Ley de Medios: só por cima do meu cadáver.

Defendeu os interesses da Globo, caninamente, na votação do Marco Civil da Internet e quando as telefônicas ameaçavam a Globo.

E, acima de todos os crimes, a Globo bajulou o Cunha, transformou-o num Péricles de Atenas, para promover o impeachment da Dilma.

São uns ingratos.

A Globo não perdoa.

A Globo não tem amigos, tem interesses.

Foi o que o PT e a Dilma («use o controle remoto«…) nunca entenderam.

Acovardaram-se diante da Globo para comprar sua complacência – e por ela foram triturados.

O Requião conta sempre aquela conversa com o José Dirceu:
– Mas, Requião, você não entendeu nada! Nós já temos uma emissora de televisão! A Globo!

O Cunha certamente entendeu a liçao.

E a Dilma, se voltar?

O que é mais provável a cada dia…

Vai nomear o Paulo Bernardo Ministro das Comunicações?

PHA

PS do colaborador:

Fotoarte: «Pe. Antonio Vieira»

 

También podría gustarte

Los comentarios están cerrados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More