Banco dos Brics-Análise de Flávio Aguiar [Áudio]

Paulo Nogueira Batista Jr. será vice-presidente do banco dos Brics

Flávio Aguiar, correspondente internacional da RBA Europa, traz de Berlim, na Alemanha, os principais fatos que repercutem no continente. Entre os destaques: Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul confirmam criação do banco dos Brics, o Novo Banco de Desenvolvimento, com capital inicial de US$ 50 bilhões, e do Tratado do Arranjo Contingente de Reserva, com capital de US$ 100 bilhões.

O economista brasileiro Paulo Nogueira Batista Jr. será um dos vice-presidentes do banco, a ser instalado em Xangai. O presidente será o indiano K.V. Kamath.

Batista Jr. é diretor-executivo no Fundo Monetário Internacional desde 2007, eleito por 11 países. O economista é um crítico assumido da cartilha neoliberal e desde que assumiu o cargo num dos organismos internacionais mais afinados com esse ideário manteve a postura e tem se posicionado para diminuir o desequilíbrio entre os grandes países e os em desenvolvimento na ações do fundo.

Recente, em artigo, Nogueira Batista lembrou das dificuldades que teria ao se mudar para Washington e assumir o posto no FMI, decorrentes do habitual “adestramento” das elites dos países em desenvolvimento na capital do Império. “Sobrevivi. Não diria intacto, claro. Tive que enfrentar umas barras e tenho as minhas cicatrizes. Mas lutei. Lutei para que o Brasil, aquele Brasil idealizado, que só existe no coração de alguns brasileiros, pudesse se orgulhar um pouco de mim”, escreveu.

Em sua coluna, Flávio Aguiar explica também a situação da Grécia. Depois de o referendo recusar no último domingo (5) o acordo financeiro impostos pela cúpula da União Europeia, o país parece caminhar para flexibilizar sua posição e tentar chegar a um novo acordo até o próximo domingo.

Ouça o comentário de Flávio Aguiar na Rádio Brasil Atual.

 

NOTICIAS ANTICAPITALISTAS