Publicado en: 14 junio, 2018

Brasil. Luna lunera, cascabelera

Por Jornal GGN

Na visão de governo e de história da política brasileira, a Defesa mostra qual poder prevalece em uma gestão: civil ou militar.

 

Após empossar mais de 7 militares no governo, Temer fixa Defesa a general

Michel Temer efetivou um militar em Ministério de seu governo federal. Joaquim Silva e Luna, até então atuando como interino na Defesa de Raul Jungmann, que foi transferido ao Ministério Extraordinário da Segurança Pública, foi efetivado no cargo, na quarta-feira (13).

É mais um gesto brusco do presidente, ao oferecer poderes de governo a um militar. Apesar de a Defesa deter parceria com temas de atuação das Forças Armadas, a pasta nunca teve um militar em seu comando, desde 1999, quando foi criada. De acordo com informação de Gustavo Uribe, da Folha, a recomendação de pessoas próximas do mandatário era justamente o contrário: não o tornar o ministro oficial da pasta de Defesa.

A pressão dos auxiliares de Temer seria por encontrar um nove de um civil para o posto. Ainda em fevereiro deste ano, um dos aliados do presidente e ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, havia dito que a pasta da Defesa é “típica de um civil”.

Na visão de governo e de história da política brasileira, a Defesa mostra qual poder prevalece em uma gestão: civil ou militar. O próprio ex-presidente tucano Fernando Henrique Cardoso defendia o posto civil.

Mas não é a mesma opinião de Michel Temer, que desde o início de sua gestão vem concedendo cargos importantes a militares, desde quando colocou nas mãos do general Sérgio Etchegoyen o comando da Abin (Agência Brasileira de Inteligência), até chegar a toda cúpula da intervenção na segurança do Rio de Janeiro, incluindo não só o general Walter Netto, como também o general Mauro Sinott na chefia do gabinete de intervenção e o general Richard Nunes, como secretário de Segurança.

De lá para cá, Temer também deixou a Secretaria Nacional de Segurança Pública nas mãos do general do Exército Carlos Alberto Santos Cruz, e o general Franklimberg Ribeiro Freitas, ex-presidente da Funai, por nomeação do emedebista, além de inúmeros cargos de segundo escalão, como o general Roberto Severo Ramos na chefia de gabinete da própria Casa Civil.

Para completar a equipe, hoje foi efetivado Joaquim Silva e Luna no Ministério da Defesa.

 

PS do colaborador:

Fotoarte: “Gregório Barrios, Temer e Luna”

.

https://jornalggn.com.br/noticia/apos-empossar-mais-de-7-militares-no-governo-temer-fixa-defesa-a-general

 

 

COLABORA CON KAOS