Publicado en: 19 junio, 2017

Brasil. O Estadão (em estado comatoso)

Por Conversa Afiada

Jornal Estadão (em estado comatoso) turvou esse domingo 18/junho com 479 páginas sobre tema de que o Estadão não entende nada: “O Brasil além da crise”.

Estadão

O que os bancos dirão ao FHC? O que quer o Roberto Setúbal, ombudsman do Banco Central?

O Estadão (em estado comatoso) turvou esse domingo 18/junho com 479 páginas sobre tema de que o Estadão não entende nada: “O Brasil além da crise”.

O Estadão ouviu 7.027 empresários que disseram, em coro, “só as reformas do chefe da maior quadrilha de larápios, segundo Joesley, salva o Brasil”!

Seria interessante assistir a uma reunião de diretoria de uma dessas magníficas empresas e ouvir o que responderia o CEO, se um diretor financeiro se saísse com essa: “chefe, só as reformas do Temer nos salvam!”

Estava na rua, no seguinte momento.

Mas, no PiG, é só isso o que eles sabem dizer: é imprescindível, inadiável fazer as reformas, dizem os presidentes da Mercedes, da Bayer, da Natura, do Santander.

Na próxima edição dominical do Estadão eles mesmos demonstrarão, na ponta do lápis, como é que a “reforma da Previdência” vai melhorar o balanço semestral deles.

Quá, quá, quá!

Quero ver o presidente da Mercedes e da Bayer explicar isso aos acionistas alemães.

Quá, quá, quá!

Mas, aqui, na taverna provincial, eles dizem qualquer coisa!

A unica exceção desse canto-chão tartúfico é a reveladora declaração do presidente do Bradesco, que vale mais do que todos esses aí mencionados, juntos:

“A recessão dos últimos três anos não volta mais. Há décadas nosso problema é macroeconômico. Desta vez, temos a instabilidade política. Já que não é possível um divã, a regra é mudança em cenário de incerteza. A esperança de crescimento robusto fica condicionada agora à aprovação das reformas no Congresso. Chegamos num ponto em que é preciso certo distanciamento para enfrentar a situação com serenidade. É preciso priorizar aquilo que está sob nosso alcance.” Luiz Carlo Trabuco, presidente do Bradesco.

 

 

 

Navalha

Trabuco não diz nada!

Trabuco está na muda.

Vai dar prioridade ao que o Bradesco possa fazer.

Por que será?

Porque os bancos é que vão derrubar o Temer, como previu o Conversa Afiada.

O Temer depende menos do STF, do Congresso, do Janot, da Globo, ou da PF do que depende do que o Roberto Setúbal, dono Itaúúúúú e ombudsman do Banco Central disser no ouvido do Fernando Henrique.

Porque sem o PSDB o MT acaba.

E o PSDB nada mais é do que o trombone dos bancos (de São Paulo).

(Em tempo: o Bradesco anuncia no Conversa Afiada.)

PHA

 

 

PS do colaborador:

Fotoarte: “Nota de Falecimento”

.

https://www.conversaafiada.com.br/economia/o-que-os-bancos-dirao-ao-fhc

 

Escribe un comentario

XHTML: Puedes usar los siguientes tags html: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

COLABORA CON KAOS